Banca & Finanças CMVM quis saber quem foi a fonte da notícia da TVI sobre Banif

CMVM quis saber quem foi a fonte da notícia da TVI sobre Banif

Ao abrigo da lei de imprensa, a TVI recusou-se a revelar de onde vem a notícia que antecipava o fecho do Banif, pelo que a CMVM não consegue perceber se há crimes em torno da notícia que possam ter afectado o mercado.
A carregar o vídeo ...
Diogo Cavaleiro 13 de abril de 2016 às 19:14

A notícia da TVI de 13 de Dezembro, que anunciava o fecho do Banif e que muitos intervenientes admitem ter estado na origem na resolução do banco, foi investigada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

Saber se houve abuso de informação privilegiada com a notícia da TVI "só poderá ser apurado com a identificação da fonte", disse Carlos Tavares aos deputados da comissão de inquérito. "Coisa que, como sabe, não podemos impor ao órgão de informação".

 

"Pedimos essa informação só para este efeito. A direcção de informação da TVI, invocando a lei da imprensa, declarou não poder fornecer essa informação, garantindo apenas que tinha feito todas as verificações que seriam recomendadas", afiançou o líder do regulador do mercado de capitais na audição desta quarta-feira, 13 de Abril.

 

A 13 de Dezembro de 2015, a TVI adiantou, em nota de rodapé, que o Banif seria encerrado no dia seguinte, com perdas para os depositantes com depósitos acima de 100 mil euros, falando ainda na integração da CGD. As informações foram corrigidas nas horas seguintes e o Ministério das Finanças veio desmentir a notícia.

 

Na segunda-feira seguinte, com os mercados bolsistas a arrancar, a CMVM pensou em suspender a negociação dos títulos do banco. Carlos Tavares explicou que foi discutido se a negociação devia continuar, mas que poderia haver a leitura, em caso de suspensão, que a CMVM não confiava no que estava a ser defendido pelo Ministério das Finanças. 

 

Em relação à notícia da TVI, os deputados chamaram o director de informação da estação de Queluz de Baixo (Sérgio Figueiredo, antigo director do Negócios), e o comentador António Costa (que Jorge Tomé, ex-presidente do Banif, diz ter sido a pessoa responsável por coordenar a notícia dada pela TVI no domingo).

 

A 20 de Dezembro, o Banif foi alvo de uma medida de resolução, com a injecção de 2.255 milhões de euros, com a venda da sua actividade tradicional ao Santander Totta, banco que pertence ao Santander que, por sua vez, é accionista do grupo Prisa, dono da TVI - uma ligação que levantou dúvidas sobre o tema.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI