Banca & Finanças Comprador do banco da CGD no Brasil terá de fazer pagamento inicial de 2 milhões

Comprador do banco da CGD no Brasil terá de fazer pagamento inicial de 2 milhões

O pagamento "deve ser efetuado até ao momento da celebração dos instrumentos jurídicos relativos à venda direta", indica a portaria publicada esta quarta-feira em Diário da República. Em causa estão 10 milhões de reais, ou perto de dois milhões de euros.
Comprador do banco da CGD no Brasil terá de fazer pagamento inicial de 2 milhões
Cátia Barbosa/Negócios
Rita Atalaia 23 de outubro de 2019 às 11:09
O comprador do banco da Caixa Geral de Depósitos (CGD) no Brasil terá de avançar com um pagamento inicial de cerca de dois milhões de euros, de acordo com uma portaria publicada esta quarta-feira, 23 de outubro, em Diário da República. Os interessados têm até 25 de novembro para apresentar propostas vinculativas. 

"O proponente selecionado para a aquisição das ações representativas de até 100% do capital social do Banco Caixa Geral — Brasil deve efetuar o pagamento do montante correspondente à prestação pecuniária inicial", refere a portaria. Um valor fixado em 10 milhões de reais, ou seja, perto de 2,2 milhões de euros. 

Este pagamento "deve ser efetuado até ao momento da celebração dos instrumentos jurídicos relativos à venda direta" de maneira a que "os investidores selecionados que apresentaram propostas vinculativas de aquisição possam adotar atempadamente as diligências necessárias". Na corrida estão o Banco Luso-Brasileiro, do grupo Amorim, o Banco ABC Brasil e o fundo Artesia. 

Os interessados em ficar com o Banco Caixa Geral têm até às 17:00 do dia 25 de novembro para entregarem propostas vinculativas. 

No início deste ano, a CGD já tinha adiantado que esperava celebrar o contrato de compra e venda do BCG Brasil ainda em 2019, depois de terem dado início aos contactos com investidores no final de 2018. Mas por causa da turbulência política no país, o processo sofreu atrasos.

A redução da operação da CGD fora de Portugal ficou definida em 2017 com a Comissão Europeia, como contrapartida da recapitalização do banco público. Em novembro foi aprovada a venda do Banco Caixa Geral, em Espanha, ao Abanca, e do Mercantile Bank ao Capitec Bank Limited, sendo que a alienação do banco sul-africano vai ficar concluída no início de novembro, tal como o Negócios avançou.

Entretanto arrancou também a venda do banco da CGD em Cabo Verde, uma operação que também deverá ficar concluída até ao final do ano. 



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI