Banca & Finanças Dois ex-ministros do PS e mais duas mulheres na gestão do Santander Totta

Dois ex-ministros do PS e mais duas mulheres na gestão do Santander Totta

António Vitorino e Luís Campos e Cunha, antigos ministros socialistas, vão integrar a administração do Totta como não executivos. Equipa é reforçada com duas mulheres, uma das quais, Inês Oom de Sousa, deve assumir funções executivas.
Maria João Gago 16 de maio de 2016 às 11:48

Dois antigos ministros de governos do PS, António Vitorino e Luís Campos e Cunha vão passar a integrar a administração do Santander Totta, como administradores não executivos, após a assembleia-geral de 31 de Maio, que vai reeleger António Vieira Monteiro como presidente, segundo a proposta publicada no site da CMVM esta segunda-feira, e cujos nomes o Observador divulgou com antecipação.

 

A lista traz ainda como novidade a entrada de mais duas mulheres para o conselho, que se juntam a Isabel Mota, antiga secretária de Estado de Cavaco Silva, que será reeleita administradora não executiva. As duas estreias são as de Inês Oom de Sousa, actual chefe de gabinete de Vieira Monteiro, que deverá assumir funções executivas, e de Remedios Ruiz, directora do Santander com responsabilidades nas áreas de supervisão e riscos, que deverá manter-se como não executiva.

 

Além de Vieira Monteiro, serão ainda reeleitos todos os administradores executivos, à excepção de Elias da Costa, que optou por sair. Assim, mantêm-se na equipa Manuel Preto, responsável pela área financeira, e os vogais José Sítima, João Leite, José Maia, Luís Bento dos Santos e Pedro Castro e Almeida.

 

Entre os administradores não executivos, os dois antigos ministros socialistas já tinham feito parte dos órgãos sociais do Santander Totta. António Vitorino foi presidente da mesa da assembleia-geral, enquanto Luís Campos e Cunha lidera o conselho fiscal, órgão que vai ser substituído por uma comissão de auditoria, que continuará a ser presidido pelo antigo-ministro das Finanças. Isabel Mota passa também a integrar este órgão de controlo da gestão. 

A nova administração e os novos membros da comissão de auditoria serão eleitos para desempenhar funções nos próximos três anos, já que o mandato termina no final de 2018.

 

Outra das novidades que vai sair desta assembleia-geral é a nomeação da PricewaterhouseCoopers (PwC) como auditora do Santander Totta, em substituição da Deloitte, que tinha aquelas funções há mais de dez anos. A mudança de auditor surge em linha com a decisão tomada pela casa-mãe espanhola, com o objectivo de antecipar a entrada em vigor das regras que impõem a rotação da empresa que presta serviços de auditoria a bancos, seguradoras e empresas cotadas.

António Vitorino e Luís Campos e Cunha (na foto em cima) são os dois ex-ministros do PS que entram na administração do Santander Totta
António Vitorino e Luís Campos e Cunha (na foto em cima) são os dois ex-ministros do PS que entram na administração do Santander Totta
Miguel Baltazar



(Notícia actualizada às 12:06)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI