Banca & Finanças Edifício da Espírito Santo International em Miami vendido por 142 milhões de dólares

Edifício da Espírito Santo International em Miami vendido por 142 milhões de dólares

Ao câmbio actual, grande parte dos 126 milhões de euros da venda do Espírito Santo Plaza irá para a massa liquidatária da ESI. Em 2004, tinha representado um investimento de 170 milhões para o Grupo Espírito Santo.
Edifício da Espírito Santo International em Miami vendido por 142 milhões de dólares
Diogo Cavaleiro 17 de setembro de 2015 às 18:53

O edifício que o Grupo Espírito Santo tinha em Miami já foi vendido. Aquele que era descrito como "um dos mais representativos e icónicos imóveis" da cidade foi para as mãos do grupo imobiliário americano Gaedeke. Saiu, assim, da posse da massa liquidatária da Espírito Santo International, no Luxemburgo, para onde deverá ir a maior parte dos 142 milhões de dólares pagos na transacção (126 milhões de euros, ao câmbito actual).

 

A informação ainda não consta do site das insolvências no Luxemburgo da Espírito Santo International, onde foi anunciado o arranque da operação. O processo de alienação do edifício do GES em Miami foi lançado em Abril e concluído em Setembro (em Agosto, o Negócios escreveu que a venda estava iminente), tendo contado com a assessoria da Exan Capital. A ESI tem, através de uma sub-subsidiária (Estoril Inc), "uma parte importante" do Plaza.

 

Construído em 2004, o Espírito Santo Plaza é um edifício com 36 andares, uma torre de janelas de vidro, que tem vários inquilinos, com destaque para instituições financeiras (o banco do BES era um dos exemplos, também ele já vendido). O hotel Conrad Miami, marca do grupo Hilton, é outro dos ocupantes (embora o hotel não tenha sido vendido nesta operação). No edifício, destaca-se um ginásio mas também um condomínio residencial de luxo. A garagem estende-se por 12 andares, sendo que há uma piscina e dois campos de ténis, segundo escreve o grupo imobiliário comprador, Gaedeke, no comunicado em que confirma a aquisição. 

Em 2004, segundo um comunicado então divulgado pelo Grupo Espírito Santo, o Espírito Santo Plaza representou um investimento de 170 milhões de euros. 

 

A notícia sobre a concretização da venda do edifício – localizado na avenida Brickell, n.º1395, em Miami, Florida, Estados Unidos da América – foi publicada esta semana por jornais americanos como o Miami Herald e o especializado em imobiliário The Real Deal. Apesar dos contactos, não foi possível obter esclarecimentos de Caetano Beirão da Veiga, que acompanha, em Portugal, a insolvência da ESI e Rioforte.

 

A maior parte do encaixe da operação deverá ter como destino a ESI - a empresa, que estava no topo do Grupo Espírito Santo, encontra-se em processo de insolvência no Luxemburgo, juntamente com a Rioforte e ainda a ES Control, a ESFG e a Esfil. Os credores da ESI (como detentores de papel comercial) podem reclamar os seus créditos junto da massa liquidatária até ao final de Janeiro de 2016, depois de sucessivos adiamentos.

 

Em venda nos EUA esteve também a unidade de banca do Banco Espírito Santo. Neste caso, foi mesmo o BES, enquanto veículo com activos considerados tóxicos, que foi o vendedor. O comprador, um conjunto de investidores que inclui os venezuelanos do grupo Benacerraf, pagou 10 milhões de dólares, "o qual pode ser aumentado por um valor equivalente à diferença positiva entre o valor de 5 milhões de dólares, o valor que venha a ser necessário para resolver determinadas contingências pendentes".

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI