Banca & Finanças Fundos de Soros investiram 500 milhões no aumento de capital do Santander

Fundos de Soros investiram 500 milhões no aumento de capital do Santander

Os fundos de investimento controlados por George Soros investiram cerca de 500 milhões de euros no aumento de capital do Santander, de acordo com o jornal El Mundo. A operação de reforço de capital foi anunciada ao mercado no passado dia 8 de Janeiro.
Fundos de Soros investiram 500 milhões no aumento de capital do Santander

O multimilionário de origem húngara George Soros (na foto) participou no aumento de capital que o banco espanhol Santander realizou no final da semana passada. De acordo com as informações avançadas pelo jornal El Mundo esta segunda-feira, 12 de Janeiro, Soros, através dos seus fundos, investiu cerca de 500 milhões de euros no aumento de capital do banco actualmente liderado por Ana Botín. O investimento representa cerca de 7% do total pedido para capitalizar o banco, segundo fontes financeiras do jornal espanhol.

 

No passado dia 8 de Janeiro, o Santander anunciou uma mega operação de reforço de capital. O banco espanhol pediu 7,5 mil milhões de euros num aumento de capital. O comunicado enviado ao regulador do mercado de capitais espanhol assinalava que "a referida operação vai realizar-se através de uma colocação acelerada". O aumento de capital não tem direito de preferência, ou seja, os actuais accionistas não terão acesso a receber novas acções. Conforme comentava a imprensa espanhola, a operação é a forma encontrada pelo Santander para responder às críticas de que o seu nível de solvência não é tão sólido como o dos restantes grandes bancos europeus.

 

O El Mundo explica ainda esta segunda-feira que, os cerca de 500 milhões de euros investidos pelos fundos controlados por Soros não fazem dele um accionista com uma posição de relevo. O Santander vale em bolsa cerca de 74.000 milhões de euros. Porém, com este investimento, Soros fica como um dos investidores institucionais que possibilitaram esta operação. O BESI, numa nota de análise a que o Negócios teve acesso, defende que, após o aumento de capital os fundos de Soros têm cerca de 0,6% do capital do banco.

 

Antes do aumento de capital ter sido formalmente apresentando, o mercado especulava que o Santander estava a preparar-se para realizar uma operação de aumento de capital e que poderia ser um valor pouco usual – 7 mil milhões de euros. Uma fasquia que foi superada. E que, segundo o jornal espanhol, poderia ter sido superior. O El Mundo escreve, citando o comunicado oficial da instituição financeira, que "a procura total superou os 11.000 milhões de euros ao preço de colocação – 6,18 euros por acção – e contou com pedidos de 235 investidores".

 

No passado dia 10 de Janeiro, a agência de informação espanhola, a EFE, avançava que o aumento de capital do Santander foi subscrito maioritariamente por investidores norte-americanos e britânicos.

 

Com a operação de aumento de capital concluída, os títulos do banco em bolsa estão a recuperar das perdas registadas na passada sexta-feira, dia 9. Nessa sessão, as acções fecharam a cair mais de 14% tendo, contudo, chegado a cair mais de 15% no decurso da sessão. Por esta altura, as acções sobem 2,21% para 6,02 euros, sendo que, esta manhã já somaram 2,50% para 6,037 euros.

 

As acções do aumento de capital começam a negociar amanhã, 13 de Janeiro.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI