Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ex-gestores do BPN-Crédito condenados a penas suspensas por burla e abuso de confiança

Os arguidos concederam crédito que tinha como finalidade a compra de carros e que era usado "à revelia do banco" para financiar dirigentes e clubes de futebol da região Norte e negócios privados.

Bloomberg
Lusa 27 de Maio de 2016 às 20:22
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Um ex-presidente do agora extinto BPN-Crédito e mais três ex-administradores foram condenados esta sexta-feira a penas entre os dois e cinco anos de prisão, suspensas na sua execução, por concederem empréstimos irregulares de 21 milhões de euros e um desfalque de 3,5 milhões.

 

O colectivo de juízes do Tribunal São João Novo, no Porto, interditou ainda os arguidos de exercerem actividade em bancos em Portugal e obrigou-os a ressarcir o banco do prejuízo causado, através do estabelecimento de um plano de pagamento. "A concessão de empréstimos não era para enriquecimento pessoal, mas para o enriquecimento de terceiros que não foram arguidos no processo", salientou o juiz presidente.

 

Os arguidos, com idades entre os 47 e 51 anos, aprovaram créditos fraudulentos de 21 milhões de euros, valor já ressarcido ao banco.

 

O crédito, que tinha como finalidade a compra de carros, era usado "à revelia do banco" para financiar dirigentes e clubes de futebol da região Norte e negócios privados.

 

Os contratos, que referiam destinar-se a empréstimos para a aquisição de carros de luxo, eram fictícios, dado não haver qualquer compra. Os créditos eram concedidos sem as garantias necessárias e com taxas de juro "irrisórias" para a época.

 

Em 2001, depois desta situação no BPN-Crédito, com sede no Porto, ter sido tornada pública, os arguidos demitiram-se. 

O BPN-Crédito foi comprado pela Firmus Investimentos ao Estado em Dezembro de 2014, tendo mudado de nome para 321 Crédito.

Ver comentários
Saber mais Tribunal São João Novo banca crime lei e justiça BPN-Crédito dirigentes futebol
Mais lidas
Outras Notícias