Banca & Finanças Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP

Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP

A Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP. O maior accionista do banco vai aproveitar a operação para reforçar a sua posição para 30%. Com este reforço de posição, o grupo chinês eleva a mais de 577 milhões o investimento na instituição de Nuno Amado.
Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP
Reuters
Maria João Gago 09 de janeiro de 2017 às 18:11

A Fosun vai investir mais de 400 milhões de euros no aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros do BCP, garantindo a colocação de 30% do valor total da operação. Desta forma, o grupo chinês pretende reforçar a sua posição dos actuais 16,7% para 30%, consolidando-se como o maior accionista da instituição liderada por Nuno Amado.

 

Com o aumento de capital, o conglomerado liderado por Guo Guangchang eleva a mais de 574 milhões de euros o investimento total no BCP. Recorde-se que, em Novembro, a Fosun subscreveu um aumento de capital de 174,58 milhões de euros realizado pelo BCP e que se destinou à subscrição exclusiva do grupo chinês.

 

Após o primeiro investimento no BCP, realizado em Novembro último, a participação accionista da Fosun no BCP fixou-se em 16,67%, o que tornou o conglomerado chinês no maior accionista do banco.

 

Para poder elevar a sua posição no BCP para 30%, o grupo de Guo Guangchang vai ter de adquirir direitos de subscrição a accionistas que não queiram acompanhar a operação. Por esta razão, além dos 399,58 milhões  que vai ter de aplicar na subscrição de novos títulos, a Fosun terá de desembolsar mais dinheiro nesta operação.

 

O grupo chinês vai tomar 31% do aumento de capital de 1.300 milhões, já os restantes 900 milhões são tomados firmes por um consórcio de bancos internacionais, composto pelo JP Morgan, Goldman Sachs, Bank of America Merril Lynch, Crédit Suisse e Mediobanca. O aumento de capital terá início a 19 de Janeiro e deve terminar a 2 de Fevereiro.

Num comunicado entretanto emitido, o BCP confirma que Chiado (empresa através da qual a Fosun é accionista do BCP) apresentou já uma ordem "irrevogável de subscrição antecipada de um número de ações que, caso seja integralmente satisfeita, lhe permita passar a deter 30% do capital social do BCP após a Oferta, participação a alcançar através do exercício dos direitos de subscrição inerentes às acções por si presentemente detidas e, adicionalmente, de ordem de subscrição adicional e/ou do potencial exercício de outros direitos de subscrição que possa vir a adquirir".

(notícia actualizada às 19:25 com comunicado)




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI