Banca & Finanças Fundo de Resolução já pagou mais de 400 milhões de euros em juros ao Estado

Fundo de Resolução já pagou mais de 400 milhões de euros em juros ao Estado

Com os processos do BES e do Banif, a entidade liderada por Máximo dos Santos pagou até ao momento 466 milhões de euros em juros e comissões ao Estado pelos empréstimos concedidos.
Fundo de Resolução já pagou mais de 400 milhões de euros em juros ao Estado
Bruno Simão/Negócios
Rita Atalaia 20 de março de 2019 às 20:09

O total dos juros e comissões pagos pelo Fundo de Resolução ao Estado pelos empréstimos concedidos relativamente aos casos Banco Espírito Santo (BES) e Banif já se aproximam dos 500 milhões de euros. O número foi dado por Luís Máximo dos Santos, presidente do Fundo de Resolução, no Parlamento. Quanto às contribuições da banca para o fundo, estas já superam os mil milhões de euros.

 

Ao todo, em juros e comissões, o "Fundo de Resolução pagou 466 milhões de euros" ao Estado pelos empréstimos, afirmou o responsável pela entidade perante os deputados, na comissão de Orçamento e Finanças que se realizou esta quarta-feira, 20 de fevereiro. 

 

Estes juros têm pesado nos resultados da entidade. O fundo fechou o ano de 2017 com recursos próprios negativos de perto de cinco mil milhões de euros e um prejuízo de 100 milhões de euros. Um resultado negativo que refletiu os juros pagos pelos empréstimos para o financiamento da resolução aplicada ao BES e das medidas de resolução aplicadas ao Banif. 

 

"Da parte dos empréstimos, o capital não foi devolvido em nenhum, com exceção de 138 milhões de euros no caso dos recursos da medida de resolução aplicada ao Banif", acrescentou o presidente do Fundo de Resolução. 

 

Quanto às contribuições pagas pelo sistema financeiro, estas "são de aproximadamente 1.300 milhões de euros. No total, foi, até agora, quanto o setor bancário contribuiu" para o fundo, detalhou ainda Máximo dos Santos aos deputados.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI