Banca & Finanças Fusão entre Banco Popolare e BPM cria terceiro maior banco italiano

Fusão entre Banco Popolare e BPM cria terceiro maior banco italiano

Os dois bancos italianos alcançaram esta quarta-feira à noite um acordo de fusão que criará a terceira maior entidade bancária de Itália, a seguir ao Intesa Sanpaolo e ao UniCrédit.
Fusão entre Banco Popolare e BPM cria terceiro maior banco italiano
Bloomberg
Ana Luísa Marques 24 de março de 2016 às 09:39

O Banco Popolare e o Banca Popolare di Milano (BPM) alcançaram esta quarta-feira à noite um acordo de fusão. A nova entidade será a terceira maior de Itália, com activos no valor de 171 mil milhões de euros e 25 mil postos de trabalho, avança o jornal espanhol Expansión.

De acordo com as estimativas dos dois bancos, a fusão irá gerar sinergias de 365 milhões de euros por ano a partir de 2018. O acordo prevê ainda que o Banco Popolare realize um aumento de capital de mil milhões de euros, que deverá estar concluído até ao final deste ano.

O Expansión revela também que a sede do futuro banco será em Milão e em Verona. O presidente executivo do novo grupo será o actual CEO do BPM, Giuseppe Castagna, enquanto o cargo de chairman será assumido por Carlo Fratta Pasini, actual presidente do Banco Popolare. Os accionistas do Banco Popolare irão ficar com 54% da nova entidade, e os do BPM com 46%.

O acordo foi bem recebido pelos analistas e pelo mercado. Aldo Comi, analista do MainFirst Bank, considera que a fusão é "claramente positiva para os dois bancos e para o sector" bancário italiano, a braços com 360 mil milhões de euros de crédito mal-parado e empréstimos incobráveis.

As acções do Banco Popolare já valorizaram 7,83% para 7,85 euros e seguem agora a ganhar 0,14% para 7,29 euros. Já os títulos do BPM iniciaram a sessão a valorizar 4,71% para 74,4 cêntimos mas seguem agora a recuar 0,21% para 70,9 cêntimos.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI