Banca & Finanças Governo nega fuga de informação na queda do Banif

Governo nega fuga de informação na queda do Banif

A TVI noticiou, uma semana antes da resolução, que o Banif ia fechar e ser integrado na CGD, penalizando alguns depositantes. O CDS fala numa fuga de informação. O Governo diz que não houve fuga porque a notícia estava errada.
Governo nega fuga de informação na queda do Banif
Bruno Simão
Rui Peres Jorge 22 de dezembro de 2015 às 21:59

Durante a audição de Mário Centeno, o CDS/PP questionou várias vezes o ministro das Finanças sobre a natureza da informação que deu origem à notícia da TVI que, na última semana de vida do Banif, motivou uma corrida aos depósitos da instituição.

 

Primeiro Cecília Meireles sublinhou as semelhanças entre  a fuga de informação que deu origem à notícia – que dava conta do fecho eminente do Banif – e a opção preferida do Governo para o Banif, que passaria pela fusão do Banif na CGD. Mais tarde João Almeida, também do PP, reforçou a curiosidade centrista, perguntando quantos depósitos tinha saído da instituição nessa semana.

 

Mário Centeno recusou-se a quantificar o montante da saída de depósitos, embora antes tenha reconhecido que esse processo prejudicou a viabilidade da instituição. O ministro recusou ainda qualificar a informação da TVI como uma fuga, e considerou tratar-se de uma notícia errada, na medida em que não se planeava o fecho da instituição, nem a perda para depósitos superiores a 100 mil euros.

 

"Todas as notícias são importantes, as da semana passada são, assim como são as que saíram desde Dezembro de 2012 e é muito importante que sejam apuradas e julgadas em sede própria", afirmou. O banco, quando ainda era banco, prometeu agir judicialmente contra a TVI, a que se iriam juntar os sindicatos e os trabalhadores.





Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI