Banca & Finanças Grupo Espírito Santo alvo de buscas em Lisboa e Miami

Grupo Espírito Santo alvo de buscas em Lisboa e Miami

O Ministério Público fez buscas à sede do Grupo Espírito Santo (GES) em Lisboa e o regulador norte-americano voltou à subsidiária do BES em Miami, avança o Público.
Negócios 24 de julho de 2014 às 08:54

O GES não sai debaixo dos holofotes. Esta quarta-feira à tarde, o Ministério Público fez buscas à sede do Grupo, onde funciona o conselho superior no qual estão representados os cinco ramos da família, bem como visitou sociedades ligadas à família e empresas com relações comerciais com o GES. Do outro lado do Atlântico, os supervisores financeiros norte-americanos voltaram ao BES Miami.

 

De acordo com o jornal "Público", que avança com a notícia esta quinta-feira, poderão estar envolvidos nestas buscas e "visitas" do Ministério Público inspectores das Finanças. Em causa estão as holdings do GES, mas ao mesmo jornal, tanto os porta-vozes da Rioforte como da ESI garantiram que não foram visitados pelo Ministério Público. Esta acção decorreu horas depois de o Tribunal do Comércio do Luxemburgo ter aprovado o pedido de gestão controlada apresentado pela ESI, que se declarou sem condições para pagar a dívida.

 

No caso de Miami trata-se de uma reincidência. Já em Julho o Público tinha noticiado que o departamento da Florida do Federal Deposit Insurance Corporation tinha estado no ES Bank Miami, para auditar a governação. Ao que parece as autoridades voltaram a Miami para investigar operações com as subsidiárias do ES do Panamá e da Venezuela.

 

Além das subsidiárias em Miami (e três sucursais em Nova Iorque, Nassau-Bahamas e Ilhas Caimão) e no Panamá, o GES tem ainda um banco na Venezuela com actividade comercial com Miami e que também estará debaixo de olho das autoridades norte-americanas.

 

Vários inquéritos em curso

Já na sexta-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) tinha assumido ao Negócios estar a investigar o Grupo Espírito Santo, sublinhando que os inquéritos já estão em curso há várias semanas. "Existem inquéritos em curso relacionados com esta matéria e que são até anteriores às notícias das últimas semanas", afirmou a PGR, em declarações enviadas por escrito ao Negócios, confirmando a notícia avançada pela Reuters.

 

Também em Novembro do ano passado, procuradores do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa fizeram buscas à sede do BES. Nessa ocasião, Amílcar Morais Pires, que foi a primeira escolha para suceder a Ricardo Salgado, e José Maria Ricciardi, líder do BESI, foram constituídos arguidos.

 

Entretanto, em Maio, o Ministério Público já havia anunciado a intenção de investigar o Grupo Espírito Santo depois de descobertas irregularidades na Espírito Santo International, sediada no Luxemburgo.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI