Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Grupo Espírito Santo fica com 25,1% do BES após aumento de capital

O Espírito Santo Financial Group cumpriu a intenção: conseguiu ter uma posição em torno de 25% no Banco Espírito Santo após o aumento de capital concluído na semana passada. Tinha 27,5% antes da operação. Perde peso mas mantém poder sobre um quarto do capital.

Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 16 de Junho de 2014 às 17:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

O Espírito Santo Financial Group, a sociedade que lidera o braço financeiro do Grupo Espírito Santo, reduziu a sua posição no BES para 25,1%, tal como previsto pela gestão. Antes do aumento de capital, a participação ascendia a 27,4%.

 

O ESFG havia tornado pública a decisão de comprar direitos que permitiram subscrever novas acções a emitir pelo banco. Contudo, não o fez na totalidade – só se o fizesse é que manteria a participação anterior. Assim, não tendo subscrito alguns dos seus direitos, a participação do grupo seria reduzida. O que aconteceu. A intenção anunciada pelo ESFG era a de manter uma posição de cerca de 25% do capital social do BES. Ficou em 25,1%, de acordo com o comunicado publicado esta segunda-feira 16 de Junho.

 

"O número consolidado de acções ordinárias do BES detidas pelo ESFG, após a conclusão do aumento de capital de 1.045 mil milhões de euros, subiu para 1.409.319.449 acções, equivalente a uma participação de 25,1% do BES", indica o mesmo documento da empresa que, além do BES, detém a Tranquilidade.

 

O banco liderado por Ricardo Salgado (na foto) realizou um aumento de capital de 1.045 milhões de euros, concluído na semana passada. Esta operação consiste no recebimento daquele montante em troca de novas acções (1.607 milhões, a juntar às 4.102 milhões existentes) que passam a compor o seu capital social.

 

Desde 1991 que o ESFG e o Crédit Agricole tinham uma posição de controlo sobre o banco, através da sociedade Bespar, dona de 35,3% do capital. A Bespar foi dissolvida, passando ambos a ter posições directas: o ESFG reduziu para os 27,4% (1.104.970.788 acções) e, depois do aumento de capital, a posição foi diluída até aos 25,1%, directa ou através de suas subsidiárias (ainda que com mais acções - 1.409.319.449).

 

O fim da aliança entre o Espírito Santo Financial Group e o banco francês ocorreu na sequência da polémica em torno do risco que o banco enfrentou dada a sua exposição às áreas não financeira do GES. O ESFG teve mesmo de fazer uma provisão de 700 milhões de euros para cobrir tal risco. Em resultado disso, Ricardo Salgado já admitiu que irá realizar uma oferta aos accionistas minoritários do ESFG, estando em cima da mesa ou um pedido para retirada de bolsa da empresa ou uma oferta pública de aquisição sobre o seu capital. 

 

 

 

Ver comentários
Saber mais Grupo Espírito Santo Banco Espírito Santo BES aumento de capital
Outras Notícias