Banca & Finanças IPO da Stone traz fortuna de 2,8 mil milhões a fundadores brasileiros

IPO da Stone traz fortuna de 2,8 mil milhões a fundadores brasileiros

Se a vida realmente começa aos 40, estes empreendedores brasileiros já saíram com grande vantagem.
IPO da Stone traz fortuna de 2,8 mil milhões a fundadores brasileiros
Bloomberg
Bloomberg 26 de outubro de 2018 às 08:30

Andre Street, 34 anos, e Eduardo Pontes, 39, juntaram-se à lista dos mais ricos do mundo nesta quinta-feira, depois da oferta inicial de acções da Stone em Nova Iorque. As acções da fintech fundada por estes dois empreendedores estrearam-se a 32 dólares cada - acima do preço de 24 dólares estabelecido na oferta -, o que significa que a posição conjunta da dupla passou a valer cerca de 2,8 mil milhões de dólares

 

A Stone fornece aparelhos de pagamento através de cartão a pequenos comerciantes e conseguiu entrar num mercado dominado pelos bancos, atraindo um público global para a venda de acções. Warren Buffett, da Berkshire Hathaway, e a afiliada financeira do Alibaba, de Jack Ma, tentaram comprar até 440 milhões de dólares em acções da Stone, de acordo com o prospecto publicado esta semana.

 

O total de pagamentos sem dinheiro no mundo deverá crescer 10,5% por ano até 2020, com o Brasil a ser o maior país da América Latina em pagamentos digitais, de acordo com o último Relatório de Pagamentos Mundiais da Capgemini. O sector bancário e financeiro do Brasil está "à beira de uma revolução impulsionada pela tecnologia", disseram Street e Pontes numa carta publicada no prospecto da operação.

 

Receita aumenta

 

Street e Pontes formaram em 2010 no programa de liderança da Harvard Business School e trabalharam juntos no sector de e-commerce há 18 anos.

 

A Stone teve receitas de 766,6 milhões de reais em 2017, um aumento de 74% face aos 12 meses anteriores. Entre os rivais está a PagSeguro, que também fez um IPO em Nova Iorque, em Janeiro.

Street e Pontes controlam cerca de 88 milhões de acções da Stone através de um fundo de investimento nas Ilhas Cayman, de acordo com o prospecto. Foram identificados como os únicos accionistas e beneficiários finais da empresa. Assumindo que Street e Pontes possuam participações iguais, ambos seriam bilionários.

 

A empresa não comenta sobre a fortuna dos fundadores ou o seu acordo de accionistas.

 

"A Stone tem apenas seis anos e ainda está nos seus primórdios", escreveram Street e Pontes no prospecto. "Estamos felizes em ver o valor que criamos desde a nossa primeira ronda de investimentos e estamos muito animados para receber novos parceiros."




pub