Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Isabel dos Santos e CaixaBank acertam forma de pagamento para divórcio no BPI

Os dois maiores accionistas do BPI estão a acertar as formas de pagamento no divórcio que estão prestes a formalizar no BPI. Segundo a Reuters, Isabel dos Santos e CaixaBank estão “em constante troca de protocolos”.

A empresária angolana Isabel dos Santos tem posições na Galp e na Nos. Isabel dos Santos detém 45% da Esperanza Holding, entidade que tem uma posição de 45% na Amorim Energia. Esta entidade controla 38,34% da Galp. A empresária tem ainda posição na Nos através da Zopt. No total, aquelas posições rendem 47 milhões de euros em dividendos a Isabel dos Santos.
Miguel Baltazar
Negócios 22 de Março de 2016 às 13:51
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

Isabel dos Santos e o Caixabank estão ainda a acertar os últimos detalhes do acordo que vai permitir o divórcio dos dois maiores accionistas do BPI. Um dos pormenores em aberto é a forma de pagamento bem como as opções futuras, avança a Reuters esta terça-feira, 22 de Março, citando fonte conhecedora das negociações, que não antecipa qualquer prazo para o fecho final das negociações.

 

As linhas essenciais do entendimento ficaram fechadas na semana passada, prevendo que a empresária angolana venda ao CaixaBank a sua posição de 18,58% no BPI e compre a posição de controlo que o banco liderado por Fernando Ulrich tem no Banco de Fomento Angola (BFA).

 

"Estamos na fase de constantes trocas de protocolos entre as duas partes sobre um negócio que é complexo e envolve muitas entidades", adiantou à Reuters fonte com conhecimento directo das negociações. De acordo com este responsável, há alguns detalhes ainda em aberto.

 

Recorde-se que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários decidiu, esta terça-feira, suspender a negociação das acções do BPI, à espera de informação sobre a instituição liderada por Fernando Ulrich.

 

Quando o acordo final for fechado, Isabel dos Santos e CaixaBank terão de anunciar ao mercado o desfecho das negociações. Já o grupo catalão deverá ainda avançar com o anúncio preliminar da oferta pública de aquisição (OPA) sobre o BPI, operação que será obrigatória já que o CaixaBank passará a controlar mais de 50% do BPI.

 

Com a concretização do acordo com os catalães, Isabel dos Santos deverá avançar para o BCP, tendo já recebido apoio nesse sentido do primeiro-ministro António Costa. "O Governo português já deu a sua aprovação a esse cenário. Essa entrada pode ser feita através de um aumento de capital que permita capitalizar o banco para que este possa reembolsar o Estado", adiantou a mesma fonte à Reuters.

 

Como o Negócios avança esta terça-feira, Isabel dos Santos é uma alternativa para o BCP mobilizar fundos que lhe permitam antecipar a liquidação da última fatia de 750 milhões de instrumentos de capital contingente ("CoCos") subscritos pelo Estado. Um cenário que permitiria ao banco liderado por Nuno Amado posicionar-se como candidato ao Novo Banco.
Ver comentários
Saber mais BPI Isabel dos Santos CaixaBank BCP Fernando Ulrich Nuno Amado Fernando Urich BFA CMVM
Mais lidas
Outras Notícias