Banca & Finanças Jorge Tomé preferia Apollo ao Santander para o Banif

Jorge Tomé preferia Apollo ao Santander para o Banif

A Apollo conhecia melhor o Banif e estava, por isso, melhor preparada para comprar o seu negócio, segundo o líder do banco entre 2012 e 2015. 
Jorge Tomé preferia Apollo ao Santander para o Banif
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 29 de março de 2016 às 22:44

Entre o Santander Totta e o grupo americano Apollo para comprar o Banif, a preferência do antigo presidente executivo do banco, Jorge Tomé, iria para o segundo.

 

A Apollo já tinha feito operações de análise financeira ("due dilligence") ao Banif por negócios de área de negocio específicos, pelo que conhecia melhor a Apollo, na óptica de Jorge Tomé.

 

Contudo, havia um problema, que Jorge Tomé desvaloriza: a proposta apresentada pela Apollo a 18 de Dezembro de 2015 era não vinculativa, ao contrário da do Santander Totta.

 

"Em matéria de contrato, seria muito mais fácil negociar proposta da Apollo que do Santander Totta.

 

As propostas finais para o Banif, a 18 de Março, eram do Apollo, Santander, JC Flower e Popular. A da Apollo não era vinculativa, só viria a ser no dia seguinte.

 

Mesmo assim, Jorge Tomé não tem dúvidas: a proposta da Apolo era "melhor" que a do Santander mas as duas deviam ter ido para uma negociação final para "se puxar pelo valor das duas propostas".

 

Não houve venda num processo competitivo e, a 20 de Dezembro, o Banco de Portugal determinou a resolução do banco, com venda da maioria do negocio ao Santander Totta, que pagou 150 milhões de euros. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI