Banca & Finanças Luxemburgo só se decide sobre gestão controlada da Rio Forte após OPA da ES Saúde

Luxemburgo só se decide sobre gestão controlada da Rio Forte após OPA da ES Saúde

A decisão sobre se a empresa Rio Forte, do Grupo Espírito Santo, ficará sob um regime que a protegerá de credores, foi adiada de 6 para 17 de Outubro.
Luxemburgo só se decide sobre gestão controlada da Rio Forte após OPA da ES Saúde
Bloomberg
Diogo Cavaleiro 03 de outubro de 2014 às 20:21

A justiça luxemburguesa não se vai decidir, já, sobre o pedido de entrada da Rio Forte, sociedade do Grupo Espírito Santo, num regime idêntico ao de protecção de credores. A decisão final será comunicada a 17 de Outubro. 

 

O Expresso avançou que o tribunal do comércio luxemburguês só se irá decidir a 17 de Outubro, uma informação que a Rio Forte confirmou ao Negócios. A data sempre apontada para a divulgação da decisão em que a justiça diria se a Rio Forte entra ou não em "gestion contrôlée" era 6 de Outubro. A Rio Forte desconhece os motivos do adiamento. Não foi possível contactar a administração judiciária luxemburguesa.

 

A Rio Forte é a empresa que está no topo da hierarquia do ramo não financeiro do Grupo Espírito Santo, sendo a proprietária das posições em sociedades como a Espírito Santo Viagens, Hotéis Tivoli e Espírito Santo Saúde. Solicitou a entrada em gestão controlada em Julho.

 

"A apresentação deste pedido está relacionada com as dificuldades substanciais ocorridas na sociedade que detém 100% do seu capital, a Espírito Santo International S.A. ("ESI") – a qual apresentou um pedido de natureza semelhante no passado dia 18 de Julho", informou então a empresa. "A Rioforte não está em condições de cumprir com as obrigações decorrentes de determinadas dívidas, cuja maturidade ocorreu desde 9 de Julho de 2014 e que se venceram após 16 de Julho de 2014", acrescentou a empresa que tem, entre os credores, a Portugal Telecom.

 

O tribunal aceitou que o pedido fosse analisado e definiu que a juíza Anick Wolff fizesse um relatório sobre a situação da empresa. Entrando neste regime, há uma negociação controlada com os credores para alienações de activos.

 

A decisão sobre a Rio Forte só deverá ser apresentada dentro de duas semanas e, no entretanto, ficará concluída a oferta pública de aquisição sobre uma das suas empresas.

 

A Espírito Santo Saúde, detida a 51% pela Espírito Santo Health Care Investments que, por sua vez, tem 55% do seu capital nas mãos da Rio Forte, está a ser alvo de uma OPA até 10 de Outubro. A Fidelidade propôs-se a comprar todo o capital da empresa mas para a operação ter sucesso esta posição de 51% tem de ser vendida.

 

Para a venda da Espírito Santo Viagens, anunciada esta semana com a alienação à suíça Springwater, a Rio Forte indicou que a transacção "foi devidamente analisada e aprovada pelo Tribunal do Comércio do Luxemburgo".

 

Esta sexta-feira, soube-se que a justiça luxemburguesa rejeitou os pedidos feitos para a entrada em gestão controlada do Espírito Santo Financial Group e da Espírito Santo Financière. Falta saber quando será conhecida a decisão face à Espírito Santo International.

 

 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI