Banca & Finanças Montepio escolhe Manuel Ferreira Teixeira para liderar comissão de auditoria

Montepio escolhe Manuel Ferreira Teixeira para liderar comissão de auditoria

Depois da renúncia de Luís Guimarães ao cargo de vogal do conselho de administração e de presidente da comissão de auditoria do Montepio, em setembro, o banco escolheu o administrador não executivo Manuel Ferreira Teixeira para o substituir.
Montepio escolhe Manuel Ferreira Teixeira para liderar comissão de auditoria
Vitor Mota/Cofina
Rita Atalaia 04 de outubro de 2019 às 17:55
O Montepio já encontrou um substituto para liderar a comissão de auditoria, depois da renúncia de Luís Guimarães em setembro. De acordo com um comunicado enviado pelo banco à CMVM, a escolha recaiu sobre Manuel Ferreira Teixeira, administrador não executivo da instituição financeira.

"Tendo presente a cessação de funções do Dr. Luís Eduardo Henriques Guimarães, com efeito a 30 de setembro de 2019 e considerando a não designação pela Assembleia Geral de novo Presidente da Comissão de Auditoria, esta Comissão deliberou designar o Dr. Manuel Ferreira Teixeira para exercer as funções de Presidente da Comissão de Auditoria", lê-se no comunicado

Foi em setembro que o conselho de administração do Montepio ficou com menos um administrador. Luís Eduardo Henriques Guimarães renunciou ao cargo de vogal do conselho de administração e de presidente da comissão de auditoria da instituição financeira. 

"Informa-se que o Senhor Doutor Luís Eduardo Henriques Guimarães apresentou a sua renúncia ao cargo de vogal não executivo do conselho de administração do Banco Montepio, bem como ao cargo de presidente da comissão de auditoria", de acordo com o comunicado enviado ao regulador do mercado. 
Conforme avançou o Público, à data, Luís Guimarães comunicou no início de agosto a Carlos Tavares, "chairman" do Montepio, que se demitia do cargo de presidente da comissão de auditoria do banco e, por inerência, do cargo de administrador não executivo. O gestor terá alegado falta de condições para exercer a função de forma independente, referindo-se à instabilidade da governação.

Esta informação, avançou ainda o jornal, foi reportada ao Banco de Portugal, que levou a um pedido da vice-governadora Elisa Ferreira para que o administrador se mantivesse no cargo até ao final do ano. 

Luís Guimarães concordou inicialmente com este pedido. Mas, de acordo com o Público, Carlos Tavares terá tomado a iniciativa de informar aos restantes administradores do Montepio da decisão durante a reunião do conselho de administração que se realizou esta quinta-feira. 



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI