Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Morais Pires desmente Henrique Granadeiro

Amílcar Morais Pires desmente que tenha apresentado qualquer proposta à Portugal Telecom de investimento em papel comercial da Rioforte, tal como afirmado por Henrique Granadeiro. E vai mais longe. O investimento foi feito no âmbito de uma "combinação" entre Granadeiro e Salgado.

Bruno Simão/Negócios
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

Amílcar Morais Pires enviou uma carta ao presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à gestão do BES e do GES onde refuta algumas afirmações proferidas por Henrique Granadeiro.

 

Henrique Granadeiro afirmou, no dia em que esteve no Parlamento (4 de Março) que Morais Pires apresentou à Portugal Telecom uma proposta de investimento em papel comercial da Rioforte. Amílcar Morais Pires desmente esta informação numa carta enviada ao presidente da CPI, Fernando Negrão.

 

Esta informação "não é verdadeira, uma vez que o que existiu não foi uma proposta seguida de uma aceitação, mas sim uma combinação. E essa combinação foi feita entre o Dr. Ricardo Salgado e o Dr. Henrique Granadeiro", afirma Morais Pires na carta, datada de 13 de Março, a que o Negócios teve acesso.

 

Morais Pires, ex-administrador financeiro do BES, desmente também que tivesse omitido qualquer informação sobre a situação financeira da Rioforte, até porque "não conhecia, nem era suposto conhecer" as informações em causa.

 

Henrique Granadeiro afirmou, a 4 de Março, que Morais Pires era, responsável pela gestão da geração de caixa (dinheiro gerado) da Rioforte. O ex-presidente da PT garantiu que essa foi a informação a ele transmitida pelos responsáveis da Rioforte. "Informaram-me taxativamente que o ‘cash polling’ era gerido pelo CFO do BES". Algo desmentido agora por Morais Pires.

 

Com base neste contexto, Henrique Granadeiro acusou Morais Pires de ter omitido "deliberadamente" informação sobre a situação da Rioforte. "Por esta razão, o CFO do BES teria todos os conhecimentos necessários", atirou Granadeiro na sua intervenção inicial. "Tinha dever reforçado de saber a informação que foi deliberadamente omitida."

 

Morais Pires diz que "não era nem nunca foi ‘responsável pelo cash polling da Rioforte’, contrariamente ao que faltando à verdade foi afirmado pelo sr. Henrique Granadeiro (sendo mesmo de pôr em causa que alguém lhe possa ter afirmado tamanha falsidade)", sublinha.

 

E adianta que "não conhecia, nem era suposto conhecer, tais informações sobre debilidades económico-financeiras da Rioforte. E porque as ignorava, obviamente não as omitiu. E muito menos deliberadamente", conclui Morais Pires na carta enviada na semana passada.

 

Recorde-se que a PT investiu vários milhares de milhões de euros em empresas do Grupo Espírito Santo (GES), não tendo conseguido ser reembolsada em quase 900 milhões de euros. 

 

Na comissão de inquérito, Henrique Granadeiro assumiu a culpa por 200 milhões de euros investidos em papel comercial da Rioforte, mas rejeita a responsabilidade pelos restantes 697 milhões.

 

Ver comentários
Saber mais Amílcar Morais Pires Henrique Granadeiro Ricardo Salgado Fernando Negrão Portugal Telecom BES GES CPI
Outras Notícias