Banca & Finanças Vítor Bento: Nacionalização do Novo Banco deve ser considerada

Vítor Bento: Nacionalização do Novo Banco deve ser considerada

Num cenário de consolidação da banca nacional, o antigo presidente do BES e do Novo Banco, em entrevista à Antena 1 e Diário Económico, defende que o Executivo deve ponderar a possibilidade de o Novo Banco fazer "parte do património público".
Vítor Bento: Nacionalização do Novo Banco deve ser considerada
Sara Matos/Negócios
Negócios 21 de fevereiro de 2016 às 17:35

O Novo Banco esteve prestes a ser vendido, mas o processo voltou à estaca zero. Numa altura em que se prepara o relançamento da operação, Vítor Bento defende que se considerem várias opções para a instituição. Num cenário de consolidação interna da banca nacional, em oposição ao de um processo a partir do estrangeiro, a nacionalização deve ser considerada.


Vítor Bento diz que o Governo vai ter de decidir se quer que a consolidação bancária seja feita a partir de fora, o que significa ser um agente passivo e ter uma banca dominada a partir do estrangeiro, ou ter uma atitude proactiva e gerar uma consolidação interna. 

A opção é política, refere o antigo presidente do BES e do Novo Banco no programa Conversa Capital da Antena 1 e do Diário Económico. E sendo a opção a da consolidação interna, uma vez que não há capital privado, o Estado terá de ter um papel neste processo.

Neste cenário de consolidação, o presidente do Conselho de Administração da SIBS vê "o Novo Banco como parte do património publico". Ou seja, a nacionalização da instituição que resultou da resolução do BES no Verão de 2014 deve ser considerada.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI