Banca & Finanças Notícia da TVI sobre Banif "não era verdadeira" mas "não determinou a resolução"

Notícia da TVI sobre Banif "não era verdadeira" mas "não determinou a resolução"

Eurico Brilhante Dias deixa críticas à notícia da TVI ("não encontra adesão àquilo que podemos denominar de verdade aristotélica") mas não a vê como causadora da queda do banco. Outras autoridades têm de avaliar o rigor jornalístico.
Notícia da TVI sobre Banif "não era verdadeira" mas "não determinou a resolução"
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 22 de julho de 2016 às 12:42

O relatório preliminar da comissão de inquérito ao Banif não atribui à notícia da TVI24, que anunciou a preparação do fecho do banco, a medida de resolução aplicada uma semana depois.

 

"A notícia não é verdadeira, criou um stress’ na liquidez do banco, mas não é possível concluir que a notícia da TVI24, por alguma razão, determinou a resolução do Banif", indica o relatório preliminar do Banif, a que o Negócios teve acesso, da autoria do deputado socialista. Na conferência de imprensa dada esta sexta-feira, o canal de televisão de Queluz de Baixo não foi apontado como qualquer responsável. 

 

Segundo o deputado relator, a 13 de Dezembro, dia da notícia do rodapé, "os dados estavam no essencial lançados e não se conhece o impacto que este esvair de liquidez teve no valor das propostas recebidas". Na semana seguinte, saíram 890 milhões de euros em depósitos do Banif mas não foi isso que fez com que as propostas no concurso de venda tivessem valores significativamente mais baixos do que teriam até àquela data. 

 

Mesmo com essa consideração, várias são as críticas deixadas pelo deputado no documento: "A notícia da TVI24, mesmo considerando as actualizações que sofreu durante a noite, não encontrava adesão àquilo que podemos denominar de verdade aristotélica (…) o afirmado não tinha correspondência com o estado das coisas que procurava descrever".

 

Também a forma como a notícia foi trabalhada é alvo de reparos pelo deputado: "Em grande medida, apesar de ter sido reiterado pelo Sr. Dr. Sérgio Figueiredo que os visados na notícia foram contactados previamente, essa acção não foi confirmada pelos representantes do Banco de Portugal, e do Ministério das Finanças". Apenas Jorge Tomé, então presidente executivo do Banif, admite ter sido contactado pela TVI mas já depois de o rodapé estar a circular. 

 

Apesar de não ver como responsável pela resolução do Banif, Brilhante Dias admite que possa haver uma avaliação do ponto de vista jornalístico e até legal: "Deve ainda assim concluir-se, que as autoridades competentes, quer a ERCS, ou mesmo o Ministério Público, devem diligenciar no sentido de saber se foi violada alguma norma ou requisito na aplicação do protocolo exigido pelo estatuto dos jornalistas, ou qualquer outro dispositivo legal".




Notícias Relacionadas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI