Banca & Finanças Nuno Amado ganhou 385 mil euros em 2015. O mesmo que no ano anterior

Nuno Amado ganhou 385 mil euros em 2015. O mesmo que no ano anterior

O presidente executivo do BCP levou para casa, no ano passado, a mesma remuneração que em 2014: 385.159,32 euros.
Nuno Amado ganhou 385 mil euros em 2015. O mesmo que no ano anterior
Miguel Baltazar/Negócios
Carla Pedro 29 de março de 2016 às 00:39

Em 2015, Nuno Amado auferiu um valor bruto de 385.159,32 euros, dos quais 377.408,01 euros (362.129,50 no ano precedente) a título do seu cargo de CEO no Banco Comercial Português e 25.056,24 euros (contra 23.029,82 em 2014) provenientes de outras sociedades do grupo, informou o banco no seu relatório e contas.

 

Apesar de ter recebido um montante ligeiramente superior nas duas rubricas, face ao ano anterior, o valor total acabou por ser igual ao de 2014 devido aos 17.304,93 euros que deduziu (valor pago por sociedades do grupo referente a 2015 e regularizado no início de 2016).

 

Assim, no total, o valor bruto auferido por Nuno Amado foi de 385.159,32 euros, montante sobre o qual reteve 173.532,00 euros para pagamento de IRS.

 

Por seu lado, Miguel Pinheiro, vice-presidente da comissão executiva, recebeu 352.145,60 euros no ano passado, sendo que 44.018,30 euros se devem ao prémio de antiguidade (ao abrigo do contrato colectivo de trabalho).

 

Já Miguel Bragança, que é igualmente vice-CEO, auferiu 308.127,40 euros.

 

A remuneração total dos sete membros da comissão executiva aumentou, passando de 2,07 milhões em 2014 para 2,15 milhões no ano passado. Luís Pereira Coutinho terminou o seu mandato a 11 de Maio, tendo nessa mesma data sido nomeado José Miguel Pessanha.

 

Quanto ao conselho de administração do banco (excluindo os membros executivos), o total auferido pelos nove membros em 2015 foi de 372,95 mil euros, contra 372,29 mil um ano antes.

 

O "chairman" do BCP, António Vítor Martins Monteiro, viu a sua remuneração ficar igual à do ano anterior, nos 90 mil euros.

 

Sublinhe-se que do conselho de administração do banco faz parte António Mexia, mas o CEO da EDP não aufere qualquer remuneração no grupo BCP.

No passado dia 1 de Fevereiro, o BCP reportou os seus resultados de 2015, marcados pelo regresso aos lucros após quatro anos de perdas. O banco registou um lucro de 235,3 milhões de euros no ano passado, contra um prejuízo de 226,6 milhões em 2014.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI