Banca & Finanças Onze banqueiros portugueses ganharam mais de um milhão em 2011

Onze banqueiros portugueses ganharam mais de um milhão em 2011

Portugal surge na décima posição entre os países europeus onde existem mais banqueiros a auferir um rendimento anual superior a 1 milhão de euros. Estes dados, divulgados pela primeira vez pela EBA, deverão mostrar uma queda em 2012.
Onze banqueiros portugueses ganharam mais de um milhão em 2011
Reuters
Nuno Carregueiro 15 de julho de 2013 às 16:14

A Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla em inglês) publicou pela primeira vez, esta segunda-feira, uma listagem dos banqueiros dos países da União Europeia que obtiveram uma remuneração anual acima de um milhões de euros.

 

A publicação decorre de uma directiva comunitária, que obriga os bancos a comunicarem quantos executivos têm nos seus quadros a ganharem mais de um milhão de euros (salários, bónus, prémios, pensões). Esses dados foram comunicados aos reguladores locais, que depois os canalizaram para a EBA (regulador europeu), que agora os publica, sem identificar os gestores em causa.

 

O relatório da EBA, que praticamente apenas agrupa a informação, mostra que, sem surpresas, é no Reino Unido que existe o maior número de banqueiros com uma remuneração acima de um milhão de euros. Em 2011 eram 2.436, ainda assim uma queda face aos 2.525 verificados em 2010.

 

Portugal surge na décima posição, num universo de 27 países, com 11 banqueiros a auferir uma remuneração acima de um milhão de euros em 2011, menos dois em que em 2010. No ano passado, 2012, este valor terá recuado, já a injecção de dinheiro público em vários bancos obrigou bancos como o BCP e o BPI a limitarem os salários dos seus gestores.

 

Estes onze gestores ganharam em 2011 uma remuneração média de 1,6 milhões de euros, com a remuneração variável a pesar 71% sobre o total. Em 2010, a remuneração média era de 1,46 milhões de euros, mas o número de gestores a ganhar mais de um milhão era superior (13).

 

São vários os países que surgem à frente de Portugal com mais banqueiros de “salários elevados”. É o caso da Espanha (125), que surge em quarto lugar, logo atrás da Alemanha (170) e França (162).

 

Itália (96), Holanda (36), Dinamarca (33), Irlanda (21) e Suécia (15) estão também à frente de Portugal. Já a Áustria (10), Luxemburgo (10), Bélgica e Grécia (2) surgem atrás.

 

A EBA promete publicar até ao final do ano um relatório mais detalhado com os dados dos salários dos gestores da banca e as práticas seguidas pelo sector na União Europeia. Isto numa altura em que as autoridades europeias pretendem aplicar legislação para limitar os salários que são pagos na banca, sobretudo restringindo a remuneração variável de curto prazo.

 




Marketing Automation certified by E-GOI