Banca & Finanças Pinhal: Macedo e Maya avisaram que lista para o BCP tinha de ter Santos Ferreira e Vara

Pinhal: Macedo e Maya avisaram que lista para o BCP tinha de ter Santos Ferreira e Vara

O antigo administrador do BCP diz ter sido alertado por Paulo Macedo e Miguel Maya para a necessidade de integrar Santos Ferreira e Armando Vara na lista para o banco privado. Caso contrário, esta seria chumbada. 
Pinhal: Macedo e Maya avisaram que lista para o BCP tinha de ter Santos Ferreira e Vara
Lusa
Rita Atalaia 11 de junho de 2019 às 18:42

Filipe Pinhal, antigo administrador do BCP, diz ter sido alertado por vários elementos que faziam parte da sua lista no banco privado, incluindo Manuel Fino, Paulo Macedo e Miguel Maya, de que teria de integrar Carlos Santos Ferreira e Armando Vara se queria que esta fosse aprovada. 

 

"No dia 3 de dezembro [de 2007], quando se deveria realizar a reunião do conselho de administração que oficializaria a lista, cheguei ao banco por volta das 8:45 e tinha à minha espera Manuel Fino", explicou Filipe Pinhal na comissão parlamentar de inquérito à gestão do banco estatal.

 

Fino disse então "saber que a sua lista [no BCP] só passará se integrar Carlos Santos Ferreira". Não disse, contudo, "por quem seria chumbada". 

 

Depois, "às 10:00 liga-me Paulo Macedo [atual presidente da CGD] a dizer que tinha conhecimento que a lista não passará se não integrar Santos Ferreira ou Armando Vara". Pinhal acaba por se "voluntariar para sair da lista para entrar um desses elementos". Isto porque "tinha assumido um compromisso com todas as pessoas que convidei" e "não ia retirar convites". 

 

"Por volta das 11:00, nova chamada de urgência". Desta vez era Miguel Maya, atual presidente do BCP, com o mesmo alerta: "A sua lista só passará se integrar Santos Ferreira e Armando Vara. Disponha do meu lugar. Dou o convite por não aceite para eles entrarem". 

 

Para o gestor, "foi um não-evento", porque "tinha assumido um compromisso com todas as pessoas que convidei". "Não me passou pela cabeça ir dizer a alguém para ceder o seu lugar".

 

Este foi um período marcado pela chamada "guerra de poder" no BCP. "Todos estavam alinhados no sentido de mudar a administração do BCP e fazer uma insólita transferência da CGD para um banco privado cotado em bolsa", disse Pinhal, incluindo o presidente Carlos Santos Ferreira, vice-presidente Armando Vara e o administrador responsável pelo crédito, Vítor Fernandes. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI