Banca & Finanças PS chama seis administradores do Banco do Portugal ao inquérito do Banif

PS chama seis administradores do Banco do Portugal ao inquérito do Banif

Falta apenas um administrador do Banco de Portugal para que todo o conselho esteja na lista de personalidades que o PS quer ouvir no inquérito ao Banif. Antigos ministros das Finanças do anterior Governo também são chamados.
PS chama seis administradores do Banco do Portugal ao inquérito do Banif
Bruno Simão/Negócios

Há cinco administradores do Banco de Portugal, incluindo o próprio governador, de um total de seis membros do conselho, na lista de personalidades que o PS vai chamar à comissão parlamentar de inquérito ao Banif, de acordo com a proposta entregue pelos socialistas.

 

Além de Carlos Costa, que é chamado na qualidade de governador e de responsável pela autoridade de resolução, o PS quer ouvir os vice-governadores Pedro Duarte Neves e José Berberan Ramalho e os administradores António Varela e João Amaral Tomaz. Falta apenas o nome de Hélder Rosalino para que todos os membros da administração do Banco de Portugal sejam chamados ao Parlamento.

 

Um critério semelhante foi usado para a escolha dos antigos administradores do Banif que os socialistas pretendem inquirir. Além dos presidentes executivo e não executivo, Jorge Tomé e Luís Amado, estão no elenco os restantes gestores que estiveram no banco, incluindo os representantes do Estado. Daí que o PS também chame António Varela, actual administrador do Banco de Portugal, na qualidade de antigo representante do Tesouro na administração.

 

Mas em relação aos restantes supervisores, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), o PS apenas propõe chamar os respectivos presidentes, Carlos Tavares e José Almaça, respectivamente.

 

A lista de inquiridos inclui ainda representantes dos maiores accionistas privados do Banif: Teresa Roque, em representação da Rentipar, e Mário Leite Santos, da Auto-Industrial.

 

A nível de responsáveis políticos, o PS é menos ambicioso. São chamados os antigos ministros das Finanças do Executivo PSD/CDS, Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque. Mas também os governantes socialistas irão dizer de sua justiça: Mário Centeno e Ricardo Mourinho Félix, ministro e secretário de Estado das Finanças.

 

 

Autoridades europeias não escapam

 

A nível de responsáveis europeus, os deputados socialistas pretendem questionar a responsável pela supervisão europeia no Banco Central Europeu, Daniel Nouy. Também a presidente do Conselho Único de Resolução, Elke Konin, será chamada.

 

A lista socialista é mais ambiciosa no que diz respeito aos actuais e antigos responsáveis da Direcção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia (DGComp, na sigla inglesa). Além da actual comissária europeia deste pelouro, Margrethe Vestager, é chamado o antigo responsável pela pasta da Concorrência, Joaquín Almunia. O PS quer ainda ouvir actuais e antigos directores da DGComp.

 

 

Clientes e trabalhadores entre as preocupações

 

A pensar nos interesses dos antigos quadros do Banif, o PS vai chamar a comissão de trabalhadores do banco. Também António Vieira Monteiro, presidente do Santander Totta, terá de ir ao Parlamento, falar deste e doutros temas.

 

Já as preocupações dos clientes e investidores serão transmitidas pelos responsáveis das associações de lesados do Banif dos Açores e da Madeira, bem como pelo presidente da Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI