Banca & Finanças PSD vota contra relatório e tira as suas próprias conclusões no inquérito ao Banif

PSD vota contra relatório e tira as suas próprias conclusões no inquérito ao Banif

Carlos Abreu Amorim critica o "rolo compressor da maioria" que diz ter estado em toda a comissão parlamentar de inquérito.
PSD vota contra relatório e tira as suas próprias conclusões no inquérito ao Banif
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 28 de julho de 2016 às 11:52

O Partido Social Democrata vai votar contra o relatório final da comissão parlamentar de inquérito ao Banif, da autoria do socialista Eurico Brilhante Dias. O anúncio foi feito por Carlos Abreu Amorim, que coordenou os trabalhos dos social-democratas no inquérito.

Numa conferência de imprensa marcada para esta quinta-feira, Carlos Abreu Amorim criticou a postura de toda a esquerda nos trabalhos, dizendo que houve um "rolo compressor da maioria" de esquerda para impedir as intenções dos partidos de direita.

O relatório deixa críticas ao tempo que o Governo de Passos Coelho, Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque demorou a gerir o dossiê Banif.

A votação vai decorrer esta quinta-feira, 28 de Julho.

O PSD apresentou uma declaração de voto onde deixou as suas próprias conclusões. Um dos aspectos em que os social-democratas quiseram frisar são as "contradições insanáveis" entre os depoimentos de Mário Centeno, do secretário de Estado das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, e do líder do Santander Totta, António Vieira Monteiro. Aliás, há um anexo à declaração de voto em que o PSD coloca os factos em que acredita que houve declarações opostas por diferentes pessoas: "uma tabela de inverdades", segundo Carlos Abreu Amorim.

 

Outra questão que o PSD queria que constasse do relatório final do inquérito parlamentar mas que não foi acolhida pelo relator socialista tem que ver com a TVI. Brilhante Dias considera que não teve qualquer peso na queda do Banif mas o PSD quer deixar, por escrito, que afectou a liquidez do banco, por ter motivo a fuga de depósitos, e por esse ser um dos argumentos usados pelo Banco de Portugal para aplicar a medida de resolução. "O relatório reconhece que a notícia é falsa, que o comportamento editorial, assumido pelo director de informação, é errado (...) mas depois diz uma coisa extraordinária, que tanto faz, porque o desfecho seria exactamente o mesmo", declarou Carlos Abreu Amorim.

 

Na sua declaração de voto, o PSD acusou o PS de ter mudado de estratégia ao longo das audições da comissão de inquérito, atacando primeiro o governador, depois a capitalização decidida por Vítor Gaspar e, em seguida, a inacção de Maria Luís Albuquerque.


(Notícia actualizada às 12:06 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI