Banca & Finanças Relatório de "avaliação" de Carlos Costa aprovado, Governo já pode efectivar nomeação

Relatório de "avaliação" de Carlos Costa aprovado, Governo já pode efectivar nomeação

Os socialistas abstiveram-se na votação do relatório da audição da personalidade indicada pelo Governo para liderar o Banco de Portugal. O Bloco não esteve presente. O nome volta agora para o Governo, que efectivará a nomeação.
Relatório de "avaliação" de Carlos Costa aprovado, Governo já pode efectivar nomeação
Bruno Simão/Negócios

O Parlamento já aprovou a nomeação de Carlos Costa para o segundo mandato no Banco de Portugal. O relatório que foi feito da audição indicada pelo Executivo, da responsabilidade do social-democrata Carlos Silva, foi aprovado pelos partidos da maioria e pelo PCP.

 

O relatório é, na prática, a transcrição da audição do ainda governador no primeiro mandato a 12 de Junho. Não são feitos quaisquer comentários nem é dada uma qualquer avaliação à sua intervenção, conforme noticiou o Negócios.


Sendo elaborado pelo social-democrata Carlos Silva, o documento tinha já aprovação garantida por parte do PSD e do CDS. O PCP também votou favoravelmente já que, para os comunistas, o documento é apenas uma transcrição da audição em que Carlos Costa foi ouvido como indigitado.

 

Já o Partido Socialista absteve-se. O Bloco de Esquerda não esteve presente na reunião.

 

A apreciação e votação do relatório da audição foi levada a discussão da comissão parlamentar de Orçamento e Finanças esta quinta-feira, 25 de Junho, depois de reunião adiada de ontem. Mesmo que houvesse uma rejeição por parte do Parlamento, o que não seria expectável, a audição tinha apenas um carácter consultivo. 


Governo já pode formalizar recondução


Após a aprovação no Parlamento, o relatório sobre a audição a Carlos Costa será enviado para a secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade. O Governo fica assim em condições de poder formalizar a recondução do actual governador do Banco de Portugal, intenção anunciada a 28 de Maio.


A nomeação de Carlos Costa para um segundo mandato à frente da entidade de supervisão terá ainda de ser aprovada em Conselho de Ministros. O governador, cuja primeira designação ocorreu em Junho de 2010 pela mão do executivo socialista liderado por José Sócrates, é agora reconduzido para um novo mandato de cinco anos pela maioria PSD/CDS. Uma escolha que o PS acusou de "partidarização".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI