Banca & Finanças Ribeiro Mendes candidata-se com apoio de manifesto de ruptura com Tomás Correia

Ribeiro Mendes candidata-se com apoio de manifesto de ruptura com Tomás Correia

O actual administrador do Montepio, Ribeiro Mendes, vai avançar para a liderança da associação. Quer Costa Pinto como presidente do conselho geral. E quer reconstruir a confiança na mutualista. 
Ribeiro Mendes candidata-se com apoio de manifesto de ruptura com Tomás Correia
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 03 de outubro de 2018 às 19:54

O actual administrador do Montepio, Fernando Ribeiro Mendes (na foto), apresentou formalmente a candidatura a presidente da associação mutualista, a convite dos subscritores do manifesto União e Confiança, com nomes como João Costa Pinto e João Proença, que se assume de ruptura com a actual presidência de António Tomás Correia.

 

No hotel Altis, em Lisboa, o antigo secretário de Estado de governos socialistas admitiu que é necessária a "reconstrução da confiança" da associação. E esse é um dos pilares do programa. 

 

Para a sua lista, convidou João Costa Pinto, antigo vice-governador do Banco de Portugal e também ex- líder do Crédito Agrícola, para ser o presidente do conselho geral. "Vou ponderar", disse Costa Pinto ao Negócios. A disponibilidade para o cargo é o que o faz duvidar. 

 

Não há ainda mais nomes para os órgãos sociais.

Colega da administração na apresentação 

 

A apresentação foi feita num encontro com os subscritores do manifesto de ruptura com Tomás Correia, que conta com nomes como Norberto Pilar, ex-presidente da TAP e CTT, e João Proença, antigo líder da UGT. 

Miguel Coelho, também actual administrador da equipa de Tomás Correia, estava no encontro. 

No programa, que não quis pormenorizar, Ribeiro Mendes aposta em medidas de protecção social (que diz ser a sua área de especialidade) e em "estabilizar" também a associação, com a reforma dos estatutos, de forma a uma "plena participação dos associados".

 

Na apresentação, em nome do manifesto falou Norberto Pilar, que considera que "o Montepio enfrenta, nos últimos anos, uma crise de reputação que pode ser fatal", e que a candidatura de Ribeiro Mendes é adequada por não haver "suspeições de idoneidade". 

 

Ribeiro Mendes é até agora o único nome candidato à presidência da maior associação mutualista do país, mas o Eco noticiou que não conseguiu agregar todas as tendências que se candidataram ao Montepio em 2005, como era intenção inicial. 

 

Segundo informações obtidas pelo Negócios, não houve entendimento para os nomes ligados ao PCP (que actualmente tem dois membros no conselho geral, Carlos Areal e Viriato Monteiro da Silva) integrarem a lista. Contudo, Ribeiro Mendes ainda acredita que possa haver entendimento, mesmo que haja outras pessoas que não estão no apoio à candidatura: Bagão Félix, que estava na lista de Proença, e António Godinho em 2015. 

 

O actual presidente, Tomás Correia, não indicou se vai recandidatar-se ao cargo que ocupa desde 2008. 

 

As eleições no Montepio, a associação que detém a caixa económica com o mesmo nome, realizam-se a 7 de Dezembro. As listas de candidatura aos órgãos sociais têm de ser entregues até ao fim de Outubro. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI