Banca & Finanças Sérgio Figueiredo: "Não me arrependo daquilo que a TVI fez"

Sérgio Figueiredo: "Não me arrependo daquilo que a TVI fez"

Sérgio Figueiredo assume que teve funcionários a pedir a demissão na sequência da "pressão" que se seguiu ao rodapé da estação de Queluz de Baixo sobre o Banif. Não aceitou.
Sérgio Figueiredo: "Não me arrependo daquilo que a TVI fez"
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 18 de maio de 2016 às 21:46

O director de informação da TVI admite alguns problemas na elaboração do rodapé sobre o fecho e resolução do Banif, que foi transmitido a 13 de Dezembro de 2015. Mesmo assim, não há arrependimentos.

 

Ao deputado centrista João Almeida, Sérgio Figueiredo deixou essa indicação. "Não me arrependo daquilo que a TVI fez. Se era um sinal de arrependimento que queria, não lhe posso dar".

 

Sérgio Figueiredo frisou, aliás, que não se demitiu. "A minha presença aqui é auto-explicativa", declarou o director de informação da estação televisiva na audição desta quarta-feira, 18 de Maio.

 

Não se demitiu nem aceitou demissões. "Houve pessoas que se sentiram com vontade de dar o corpo às balas", afiançou o representante da TVI. "Teria sido um erro sacrificar quem quer que fosse sobre uma coisa que não tenho motivos nenhuns para me envergonhar".  

 

"À medida que o tempo foi passando e com os factos que a comissão foi apurando, mais confirmou que a gente não fez mais que a nossa obrigação", adiantou ainda o director de informação na comissão de inquérito ao Banif.

 

Na sua audição, Sérgio Figueiredo foi deixando a certeza de que a notícia sobre o Banif foi resultado de um "processo de recolha de informação", com base em várias fontes (nomeadamente documentais, como uma carta de Carlos Costa para Mário Centeno). 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI