Banca & Finanças Sonangol recebeu 1.062 milhões de dólares para assegurar BCP e entrar no BESA

Sonangol recebeu 1.062 milhões de dólares para assegurar BCP e entrar no BESA

O objectivo era capitalizar a Sonangol e reforçar a presença da petrolífera estatal no sector bancário angolano. Mais de metade do valor recebido destinou-se à entrada no BESA, escreve o Público desta segunda-feira.
Sonangol recebeu 1.062 milhões de dólares para assegurar BCP e entrar no BESA
Reuters
Negócios 25 de maio de 2015 às 09:09

A petrolífera Sonangol recebeu 1.062 milhões de dólares (965 milhões de euros) do Estado angolano para conseguir manter-se como principal accionista do BCP e investir no BES Angola (BESA), escreve o Público desta segunda-feira, 25 de Maio.

 

"O adiantamento por conta de investimentos financeiros com a descrição Banco Económico [nome da nova instituição que sucede o BESA] corresponde a um adiantamento para a realização de capital, na medida em que a referida instituição ainda não existe, até que o processo legal existente ao nível do BESA esteja concluído", pode ler-se no relatório e contas da Sonangol citado pelo jornal.

 

Do valor avançado pelo Estado angolano à petrolífera, cerca de 500 milhões de euros estão relacionados com a entrada no ex-BESA, após o colapso da instituição do universo Espírito Santo, concretiza o Público.

 

Em Outubro de 2014, após a intervenção do Estado no BESA, o banco central angolano anunciou que a Sonangol ia ser accionista da instituição financeira. A mesma mudaria de nome para Banco Económico.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI