Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Tiago Violas Ferreira: "Ficámos muito surpreendidos com o valor da OPA" ao BPI

A Holding Violas Ferreira (HVF), maior accionista português do BPI, foi apanhada de surpresa pelo preço que o CaixaBank oferece pelo BPI. "Ficámos muito surpreendidos com o valor da OPA", admitiu Tiago Violas Ferreira, ao Negócios.

DR
Maria João Gago mjgago@negocios.pt 18 de Abril de 2016 às 14:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • 18
  • ...

"Ficámos muito surpreendidos com o valor da oferta pública de aquisição (OPA)". É desta forma que Tiago Violas Ferreira, administrador da Holding Violas Ferreira (HVF), maior accionista português do BPI, reage à operação anunciada pelo CaixaBank, em declarações ao Negócios. Um comentário que sugere que a HVF considera os 1,113 euros oferecidos pelo grupo catalão são um valor baixo.

 

Tiago Violas Ferreira recusa fazer qualquer outra apreciação sobre as condições previstas na segunda OPA do CaixaBank sobre o BPI, até porque o conselho de administração do banco, onde a HVF está representada, ainda terá de se pronunciar.

 

No entanto, a surpresa da "holding" que tem 2,681% do BPI não será alheia ao facto de o preço que o CaixaBank se dispõe a pagar ser inferior aos 1,329 euros oferecidos em Fevereiro de 2015. E corresponder a um desconto de 32% face ao valor contabilístico do banco liderado por Fernando Ulrich.

O novo preço oferecido está 6,7% abaixo do preço das acções [que continuam suspensas] e 16,5% abaixo da contrapartida de 1,329 euros oferecido na oferta do ano passado.

Para alcançar mais de metade do capital do BPI o banco catalão precisa apenas de 6%. Uma percentagem que, na opinião dos analistas, deverá ser alcançada. "Se não existir blindagem, a OPA será bem-sucedida uma vez que não será difícil que 6% dos accionistas vendam e dêem a maioria ao CaixaBank", refere Pedro Lino, administrador da Dif Broker.

(Notícia actualizada às 14:05)

Ver comentários
Saber mais Holding Violas Ferreira HVF BPI OPA CaixaBank
Mais lidas
Outras Notícias