Banca & Finanças Totta vai começar a cobrar MBWay mas ainda não há datas

Totta vai começar a cobrar MBWay mas ainda não há datas

O presidente do Santander Totta diz que a entidade vai apostar numa diferenciação entre os clientes ativos e os esporádicos. Jovens não pagarão as transações em qualquer uma das plataformas. 
A carregar o vídeo ...
Rita Atalaia 07 de maio de 2019 às 18:54

O presidente do Santander Totta afirma que a entidade que lidera vai começar a cobrar transações realizadas através do MBWay. Pedro Castro e Almeida não avança, contudo, ainda com datas, garantindo que os jovens vão estar "protegidos" destes custos. 

 

"Queremos privilegiar as transações feitas na aplicação do Santander", começa por dizer o presidente do Santander, depois de o banco ter revelado que aumentou os lucros para 137 milhões de euros no primeiro trimestre.

 

"O nosso posicionamento futuro é que teremos de diferenciar os que entram na aplicação do Santander e na aplicação do MBWay", referiu o gestor, explicando que se "for um cliente que trabalhe com o Santander e que tenha uma conta que consideramos minimamente ativa, esse cliente não vai pagar" e "poderá fazer as transferências que quiser". 

 

Por outro lado, "podemos ter um conjunto de clientes que pode ter um cartão nosso e não tem uma conta ativa". Nesses casos, "vamos ter de limitar o conjunto de operações sem pagar". 

 

Já os clientes mais jovens não irão pagar quaisquer transações. "Os jovens não pagam em qualquer aplicação", notou ainda o CEO do Santander, adiantando que haverá mais novidades em julho, quando a funcionalidade na aplicação do banco deverá estar a funcionar. 

 

"O MBWay fez o seu papel", afirmou Pedro Castro e Almeida. "Já passou o tempo de estar sozinho a fazer este tipo de transações. Agora tem companhia."

 

Recentemente, Pablo Forero, presidente do BPI, admitiu ter havido um "problema de comunicação" relativamente ao MBWay.

 

O Banco BPI cobra, desde o dia 1 de maio, comissões pelas transferências MBWay que sejam feitas através da aplicação da SIBS, em vez da aplicação própria do banco. Esta medida não deverá, contudo, representar qualquer aumento de receitas para o BPI, assegurou Pablo Forero na apresentação dos resultados trimestrais. "Só por erro alguém faria transferências sem utilizar a nossa aplicação".

 

"Com o MBWay, o que achamos que vamos receber é nada, praticamente nada, porque os clientes podem fazer transferências com a nossa aplicação de forma gratuita. Só pode ser por erro que alguém faz transferências sem utilizar a nossa aplicação", disse Pablo Forero.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI