Banca & Finanças Banif: Notícia da TVI baseou-se em carta entre governador e Centeno

Banif: Notícia da TVI baseou-se em carta entre governador e Centeno

Sérgio Figueiredo defende que a notícia do Banif teve como base "informação suficiente, credível e verdadeira" para permitir à TVI avançar com a informação que avançou.
Banif: Notícia da TVI baseou-se em carta entre governador e Centeno
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 18 de maio de 2016 às 18:37

Foi com base numa carta trocada entre o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno, que a TVI se baseou para avançar com a notícia, a 13 de Dezembro, que começou por falar no fecho do Banif e depois na sua resolução.

 

Segundo o que disse na comissão de inquérito ao Banif o director de informação da TVI, Sérgio Figueiredo, era possível avançar com a notícia quando o canal de Queluz de Baixo tinha na sua posse uma missiva entre o governador e o ministro das Finanças com "data do dia anterior à notícia", ou seja, 12 de Dezembro.

 

"Eu, enquanto director da TVI, considero que essa informação é uma peça importante para juntar a várias outras (...) para poder avançar com segurança", explicou aos deputados Sérgio Figueiredo, adiantando que a "informação era suficiente, credível e verdadeira" para permitir à TVI avançar com a informação que avançou.

 

Nas respostas ao deputado social-democrata Carlos Abreu Amorim, o antigo director do Diário Económico e do Negócios defende que todas as "partes interessadas" foram contactadas "antes, durante e depois" por profissionais da TVI e por um colaborador, António Costa (ex-director do Económico, que é neste momento colaborador do canal de televisão).

 

Segundo o jornalista, a notícia avançou apenas com o cruzamento de fontes. Sérgio Figueiredo disse não estar em condições de divulgar quem eram os jornalistas que fizeram esses contactos, porque era uma equipa inteira a trabalhar e a fazer vários contactos.

"Eu respondo pela equipa"

"Ninguém imagina que uma notícia com esta relevância pudesse ser divulgada sem um conhecimento prévio e o consentimento e autorização da direcção de informação", defendeu Sérgio Figueiredo no Parlamento. 

 

Questionado pelo deputado do PSD Carlos Abreu Amorim, Sérgio Figueiredo assumiu-se como o "responsável máximo" e não indicou quem é que tratou a informação sobre a resolução do Banif a 13 de Dezembro. "Não estou em condições de o fazer. Não vejo qual a utilidade de saber quem são os profissionais que fazem a informação", disse para deixar uma certeza: "Eu respondo pela equipa".

A TVI noticiou a 13 de Dezembro, em rodapé, que o Governo estava a preparar o fecho do Banif sendo que, meia hora depois, afirmava-se que o que estava a ser preparado era a resolução.

 

Sérgio Figueiredo surgiu na audição desta quarta-feira acompanhado de vários profissionais da TVI, nomeadamente por jornalistas com capacidade de edição. 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI