Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Unidade do BCP na Polónia pode enfrentar queixa por créditos em francos suíços

Um grupo de 2.200 clientes do Millennium Bank está a ponderar interpor uma acção contra o banco, segundo um jornal polaco. O motivo são taxas de câmbio arbitrárias em hipotecas com francos suíços.

Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 13 de Junho de 2014 às 14:33
  • Partilhar artigo
  • 21
  • ...

A unidade do Banco Comercial Português na Polónia, o Millennium Bank, pode vir a enfrentar uma queixa judicial colectiva por parte de um grupo de clientes. As reclamações ascendem a 65 milhões de zlotys (15,8 milhões de euros).

 

Segundo relata o jornal polaco "Puls Biznesu", citado pela agência Bloomberg, um grupo de 2.200 clientes do Millennium Bank, em que o BCP tem uma participação de 65,5%, está a ponderar essa acção judicial contra o banco por ter, alegadamente, utilizado taxas de câmbio arbitrárias quando cedeu hipotecas denominadas em francos suíços.

 

A razão para a queixa colectiva, transmitida ao jornal polaco por um advogado que representa os clientes, está relacionada com a taxa de câmbio entre o zloty e o franco suíço, que terá feito com que os pagamentos mensais dos créditos fossem mais elevados do que aqueles que seriam pagos com as taxas de câmbio praticados no mercado.

 

Os clientes querem, por isso, ser indemnizados pela diferença entre as taxas pagas e as do mercado. Segundo a Bloomberg, as queixas podem ascender a 65 milhões de zlotys, sem incluir juros. O porta-voz do Bank Millennium não quis comentar a notícia, acrescentando que a instituição financeira não foi notificada sobre qualquer acção. Não foi ainda possível contactar o BCP em Portugal.

 

Os empréstimos denominados em francos suíços deram destaque à posição do Bank Millennium na Polónia. Contudo, a crise financeira que se seguiu à euforia em torno do mercado imobiliário, em 2007 e 2008, acabou por penalizar as margens do banco, já que os produtos financeiros que utilizava para financiar a carteira de crédito na divisa helvética verificaram uma subida expressiva dos preços. A elevada carteira de crédito em francos suíços era, aliás, a grande ameaça à venda daquela unidade em 2011, quando o BCP anunciou que pretendia sair daquele mercado – objectivo que o banco abandonou.

 

Neste momento, o banco presidido por Nuno Amado em Portugal tem sido alvo de várias notícias que dão conta de um aumento de capital, operação que permitirá acelerar a saída do Estado da instituição financeira, algo que ocorreu depois da injecção de 3 mil milhões de euros 2012. Não há nenhuma confirmação oficial – a administração diz mesmo que não foi tomada qualquer decisão – mas a acção tem sido castigada por estas notícias. Esta sexta-feira 13 de Junho, depois do desmentido feito ontem relativamente a uma nova notícia sobre o mesmo tema, as acções somam 2,07% para 18,25 cêntimos.

Ver comentários
Saber mais Millennium Bank BCP Nuno Amado francos suíços
Outras Notícias