Empresas Vítor Constâncio muda de opinião e responde por escrito sobre Banif

Vítor Constâncio muda de opinião e responde por escrito sobre Banif

Embora não admita falar enquanto vice-presidente do BCE, Vítor Constâncio telefonou ao líder da comissão de inquérito ao Banif a indicar que pode falar sobre o seu período enquanto governador.
Vítor Constâncio muda de opinião e responde por escrito sobre Banif
Jasper Juinen/Bloomberg
Diogo Cavaleiro 18 de maio de 2016 às 18:13

Vítor Constâncio mudou de opinião. Depois de ter dito por várias vezes que não iria responder à comissão parlamentar de inquérito ao Banif, o vice-presidente do Banco Central Europeu afinal pode responder. Por escrito. E só àquilo que não diga respeito à autoridade monetária.

 

"Recebi um telefonema do Dr. Vítor Constâncio no sentido de clarificar o sentido da carta que enviou ontem", indicou o presidente da comissão parlamentar, António Filipe, na audição desta quarta-feira, 18 de Maio. A carta indicava que Constâncio não podia falar sobre a actuação enquanto membro da autoridade monetária.

 

Nesse telefonema, Constâncio "transmitiu que existe disponibilidade para depor por escrito em tudo aquilo que puder depor". Ou seja, tudo o que tem que ver com a posição enquanto vice-governador do BCE não será referido. "O que não disser respeito a esta actividade estará disponível [para depor]", assinalou António Filipe.

 

O BCE – pela voz de Constâncio e do próprio Mario Draghi – já indicou que as regras europeias (Tratado de Funcionamento) impedem a prestação de esclarecimentos aos Parlamentos nacionais e apenas permitem a resposta perante o Parlamento Europeu. 

 

Uma ideia que é contestada pelos deputados e, que mesmo aceitando esse argumento, pediam respostas de Constâncio – por escrito ou por videoconferência - enquanto governador até 2010. Há inúmeras personalidades que referem que o Banif cometeu erros de estratégia e de investimento na primeira década dos anos 2000.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI