Banca & Finanças Vítor Bento lidera BES e Moreira Rato é administrador financeiro

Vítor Bento lidera BES e Moreira Rato é administrador financeiro

O novo presidente do BES que vai substituir Ricardo Salgado será Vítor Bento. O cargo de administrador financeiro será assumido por João Moreira Rato. Uma solução que merece o consenso da maioria expressa dos accionistas e das autoridades.
Vítor Bento lidera BES e Moreira Rato é administrador financeiro

Os accionistas de referência do BES, ESFG e Crédit Agricole, chegaram a acordo para a nomeação de uma nova liderança para o BES e de um novo administrador financeiro que merece o acordo do Banco de Portugal. Duas personalidades independentes e externas à actual equipa e à família Espírito Santo.

 

Vítor Bento, actual presidente da SIBS e conselheiro de Estado, será o novo líder do BES, em substituição de Ricardo Salgado. João Moreira Rato, actual presidente da agência que gere a dívida pública, o IGCP, assumirá as funções de administrador financeiro, ocupando o lugar de Amílcar Morais Pires.

 

As duas personalidades que deverão ser cooptadas para a administração merecem o apoio de pelo menos 40% do capital do BES, correspondente a 25,1% da família Espírito Santo e a 15% do Crédit Agricole. Um consenso que permite garantir a aprovação posterior na assembleia geral extraordinária marcada para 31 de Julho.

 

O entendimento entre os accionistas terá decorrido durante esta semana depois de a família Espírito Santo se ter convencido de que a proposta que divulgou a 19 de Junho não mereceria o acordo do supervisor. Há quinze dias, a ESFG, detentora de 25,1% do capital, propôs que Amílcar Morais Pires assumisse a presidência executiva do BES, numa lista a ser votada na assembleia geral de 31 de Julho.

 

Durante os dias que se seguiram tornou-se claro que essa proposta não merecia o acordo do Banco de Portugal. O supervisor fez dia 20 de Junho um comunicado alertando que só se pronunciaria sobre a nova administração do BES após a assembleia geral. Uma iniciativa pouco usual que tornou clara a não concordância do supervisor, condição determinante para que a nova administração assumisse funções.

 

Durante os dias seguintes assistiu-se a um braço de ferro com forte instabilidade nas acções do BES. Ainda esta semana, as autoridades, em que se inclui não apenas o Banco de Portugal como também o Governo, tornaram claro que a solução proposta pela família Espírito Santo não seria aceite.

 

O Negócios noticiou esta quinta-feira, 3 de Julho, que o BES iria ter um presidente e um administrador financeiro profissional, acima de qualquer suspeita e que não integre a actual equipa do Banco Espírito Santo.

 

O anúncio de que Vitor Bento iria assumir a presidência do BES gerou nesta sexta-feira uma valorização das acções do banco que fecharam a semana a subir 8,2%.

 

De acordo com o que está planeado, os novos elementos da administração serão cooptados de imediato, desconhecendo-se ainda oficialmente quando assumirão funções. A situação de instabilidade que tem vivido o BES nos últimos dias leva a admitir que a passagem de testemunho será muito rápida. A nova administração será depois validada em assembleia geral para onde parte já com o apoio da maioria do capital.

 

Desconhece-se ainda a equipa completa, assim como o modelo de governo, nomeadamente se se vai manter o Conselho Estratégico proposto pelo ESFG. Sabe-se apenas que nenhum elemento da família Espírito Santo ficará na Comissão Executiva e que o Conselho Estratégico, a existir, terá de integrar representantes de outros accionistas.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI