Empresas Frasquilho: Peso das exportações no PIB ainda "longe dos países comparáveis" na Europa

Frasquilho: Peso das exportações no PIB ainda "longe dos países comparáveis" na Europa

Portugal precisa de aumentar o peso das exportações no PIB, diz o presidente da AICEP. O sector agro-alimentar de Santarém tem margem para crescer internacionalmente, defende Miguel Frasquilho.
Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias
Vera Ramalhete 06 de abril de 2016 às 11:25

As exportações estão a evoluir de forma positiva, mas há ainda um longo caminho a percorrer para alcançar os níveis dos países comparáveis, considera Miguel Frasquilho. O presidente da AICEP destacou esta quarta-feira, 6 de Abril, as potencialidades de cooperação para as empresas do sector agro-alimentar de Santarém singrarem nos mercados externos, na segunda etapa do roadshow Portugal Global da AICEP.

 

"Apesar do longo caminho que já percorremos [no aumento do peso das exportações no PIB], estamos ainda longe dos países comparáveis no espaço europeu", disse Miguel Frasquilho. "Estou optimista para o futuro das nossas empresas e do nosso país. Mas apesar dos resultados muito positivos que já alcançámos não podemos baixar os braços", disse o presidente da AICEP, em Santarém.

 

A região tem ainda "uma grande margem de progressão" para aumentar a receita com as exportações, que atingiu 1,4 mil milhões de euros no ano passado, disse Frasquilho. A cooperação e coopetição – tema do seminário – são estratégias chave para o sector agro-alimentar alcançar esse crescimento.

 

"Somos muito heterogéneos do ponto de vista económico, mas o agro-cluster é uma referência na nossa região", destacou também Ricardo Gonçalves. "É uma referência nacional, podemos mesmo dizer ibérica", considera o presidente da Câmara de Santarém.

 

O sector agro-alimentar deve ainda repensar a logística das actividades. E para isso pode aprender com o exemplo da Holanda, que é um importante parceiro de negócios, destacou Frasquilho.

"Apesar do forte desenvolvimento das relações bilaterais nos últimos anos, há ainda muitas oportunidades" para os empresários portugueses na Holanda. A "proximidade geográfica" e a "relação privilegiada com a Alemanha" são duas vantagens deste país, destacadas pelo presidente da AICEP.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI