Comércio Grupo José Avillez vai abrir Cafeína Upstairs e Margherita no Porto

Grupo José Avillez vai abrir Cafeína Upstairs e Margherita no Porto

O grupo Cafeína, constituído por cinco restaurantes no Porto e agora sob o controlo do grupo José Avillez, anunciou que vai recrutar mais 40 pessoas para os dois novos espaços, com abertura prevista para “muito em breve”, na zona nobre da Foz-do-Douro.
Grupo José Avillez vai abrir Cafeína Upstairs e Margherita no Porto
O grupo Cafeína, agora adquirido pelo grupo detido a meias pelo chef José Avillez e a família Arié, vai abrir dos novos restaurantes no Porto.
Miguel Baltazar/Negócios
Rui Neves 11 de junho de 2018 às 13:13

Antes de mais, a confirmação da operação de tomada de controlo do grupo de restauração Cafeína pelo Grupo José Avillez:  "O grupo irá tirar partido de um recente investimento e reforço de capital para criar uma nova partilha de sinergias na abertura de novos conceitos", lê-se no comunicado enviado ao Negócios pelo grupo Cafeína,  onde se revela a contratação de 40 pessoas para dois novos restaurantes, o Cafeína Upstairs e o Margherita, com abertura prevista para "muito em breve".

 

De gerentes a copeiros, passando por barmans, equipa de sala, cozinheiros e sub-chefs, são ao todo "mais de 40 novos colaboradores" que o Grupo Cafeína está à procura para integrarem os dois novos projectos. É prometido "um contrato de trabalho e salário acima da média, formação contínua e, ainda, a possibilidade de progressão na carreira".

 

O Cafeína, situado na Foz do Douro, irá ganhar um novo "irmão", o Cafeína Upstairs, que ficará localizado no piso superior do actual restaurante. "Um espaço que visa prolongar a experiência Cafeína, num ambiente ainda mais intimista e memorável", realça o grupo de restauração, que é actualmente constituído por cinco restaurantes (Cafeína, Terra, Portarrosa, Casa Vasco, todos situados na Foz, a que acresce o Panca, na Baixa da cidade).   

 

Já a abertura do Margherita, garante o grupo Cafeína, "trará um pouco mais de Itália até à pequena ‘little Italy' que o grupo criou na Foz com a abertura do romântico Portarossa".

 

Além destes dois novos restaurantes, "o grupo tem já alguns conceitos e novos espaços em desenvolvimento". Para o empresário Vasco Mourão, que irá continuar a gerir os restaurantes do Cafeína apesar de ter vendido a maioria do capital do seu grupo ao de José Avillez, "o objectivo continua a passar por consolidar a presença do grupo Cafeína no sector da restauração, através da introdução de novos conceitos no mercado, mas preservando sempre a boa imagem e reputação que caracterizam os actuais restaurantes do grupo".

 

Já na passada edição de 5 de Junho, Vasco Mourão tinha avançado ao Negócios que, após a conclusão da operação de entrada do Grupo José Avillez no grupo Cafeína, iriam "ser retomados" os projectos "Cafeína Upstairs, a abrir no piso superior do Cafeína, e o Margherita".

 

Entretanto, o Grupo José Avillez e a família Arié, de acordo com o que revelaram ao Negócios na edição de 7 de Junho, vão criar "uma ‘holding’ que irá deter em partes iguais diferentes sociedades de restauração", como o próprio Grupo José Avillez, o grupo Cafeína e o grupo Capricciosa (antigo Grupo Doca de Santo), que exploram actualmente um total de 37 restaurantes, em Lisboa, Porto e Cascais.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI