Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Jerónimo Martins continua a ser uma das preferidas do ING com potencial de 17%

ING melhora "preço-alvo" para a retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos de 15 para 16,7 euros, mantendo a recomendação de "comprar".

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 20 de Março de 2012 às 11:39
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O ING aumentou o preço-alvo para a Jerónimo Martins e continua a considerá-la como uma das suas preferidas entre o retalho europeu.

O banco holondês considera que a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos (na foto) estará a negociar nos 16,70 euros no prazo de 12 meses, de acordo com uma nota de “research” a que o Negócios teve acesso. O “target” anterior apontava para os 15 euros.

Com o novo preço-alvo, o potencial de valorização para as acções da retalhista passa a ser de 17% em comparação com o valor de fecho de ontem (14,31 euros). A recomendação não sofreu alteração e continua a ser de “comprar”.

“Escolhemos cotadas com operações de crescimentos grandes e rentáveis nos mercados emergentes, como a Jerónimo Martins e a Casino, como as nossas preferidas”, indica o ING.

“Na nossa perspectiva, o crescimento das vendas da Jerónimo Martins na Polónia torna-se cada vez mais forte, com um potencial para manter as vendas ‘like for like’ [base comparativa] de 10% a 11% nos próximos anos e o objectivo de 250 aberturas líquidas para 2012”, escrevem os analistas John Roeg e Jan Meijer, referindo também um aumento das margens de EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) nos próximos anos.

A Jerónimo Martins deverá continuar a apresentar um crescimento de resultados por acção acima de 20% entre 2012 e 2015, diz o ING. Um desempenho que, na opinião do banco, acontece “apesar de alguma pressão sobre os resultados na sua bem administrada actividade em Portugal e dos custos de início de operações na Colômbia”. A retalhista já anunciou que as primeiras lojas naquele país da América do Sul deverão abrir no quarto trimestre deste ano.

Entre os riscos a enfrentar pela empresa, segundo o ING, estão “movimentos cambiais adversos, nomeadamente os do zloty” ou alterações nas tendências de consumo.

Na sessão de hoje, os títulos da dona dos supermercados Pingo Doce estão a perder 0,14% para negociarem nos 14,29 euros.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de “research” emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de “research” na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.
Ver comentários
Saber mais Jerónimo Martins research ING
Outras Notícias