Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Jerónimo Martins sobem 6,4% nos primeiros nove meses do ano

A Jerónimo Martins registou um resultado líquido de 252 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, que representa um crescimento de 6,4% face ao período homólogo. As vendas aumentaram 9% e o EBITDA subiu 7,3%.

Miguel Baltazar/Negócios
Vera Ramalhete veraramalhete@negocios.pt 05 de Novembro de 2015 às 17:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As vendas e os lucros da Jerónimo Martins subiram nos primeiros nove meses do ano, apoiados sobretudo na actividade na Polónia. A retalhista alcançou lucros de 252 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, que representa um crescimento de 6,4%, face ao período homólogo. No terceiro trimestre, os lucros subiram 2,9%, face ao período homólogo, para 103 milhões de euros.


Os lucros antes de juros, impostos, amortizações e depreciações (EBITDA) cresceram 7,3% para 588 milhões de euros. A margem caiu 10 pontos base para 5,8%. No terceiro trimestre, o EBITDA do grupo cresceu 8,9%.

As vendas aumentaram 9% para 10.175 milhões de euros, beneficiando ligeiramente de um efeito cambial e da abertura de novas lojas. No perímetro comparável (LfL), as vendas cresceram 3,3%. O crescimento mais significativo ocorreu na Polónia, onde a Jerónimo Martins detém a cadeia de supermercados Biedronka, com uma subida de 10,4% das vendas, apoiada no programa de expansão de lojas. As vendas LfL subiram 2,9%, "com o crescimento dos volumes a compensar substancialmente a deflação", escreve a empresa no comunicado enviado à CMVM. As vendas LfL do Pingo Doce avançaram 4,7%, o que a Jerónimo Martins considera "uma muito boa evolução".


Como uma dívida líquida média inferior e um menor custo da dívida, os custos financeiros fixaram-se em 20 milhões de euros - seis milhões abaixo do período homólogo, acrescenta ainda a empresa. 

Tendo em conta os resultados e perante as elevadas reservas, a Jerónimo Martins decidiu avançar com uma proposta de distribuição de resultados extraordinária que deverá ser entregue aos investidores ainda este ano. O dividendo referente a este exercício será entregue, assim, até ao final de 2015. Equivale a 37,5 cêntimos por acção.

"O desempenho no período reflecte a boa evolução das vendas em todas as áreas de negócio", escreve a retalhista no comunicado enviado à CMVM. O desempenho é "ainda mais relevante" considerando "a envolvente de contínua deflação alimentar", acrescenta a empresa. Para o resto do ano, a empresa manteve as metas de vendas inalteradas em todos os mercados.

(notícia actualizada às 18:00)

Ver comentários
Saber mais Jerónimo Martins resultados lucros vendas Pingo Doce Biedronka
Outras Notícias