Indústria Luís Amaral quer Alberto da Ponte na administração da Stock Spirits

Luís Amaral quer Alberto da Ponte na administração da Stock Spirits

A fabricante de vodka Stock Spirits está no centro de uma luta para mudar a direcção. O investidor português Luís Amaral quer colocar Alberto da Ponte na gestão. Mas enfrenta contestação.
Luís Amaral quer Alberto da Ponte na administração da Stock Spirits

Luís Amaral, o gestor que liderou o MBO da grossista polaca Eurocash quando o grupo Jerónimo Martins decidiu em 2003, alienar a empresa, está no meio de uma batalha pela gestão e estratégia futura da Stock Spirits.

O gestor português, que detém hoje 43,8% da cotada na praça polaca Eurocash, é ainda, através do veículo Western Gate, dono de 10% da fabricante de vodka e outras bebidas destiladas Stock Spirits, com sede em Londres mas operação e maioria das receitas na Polónia.

Em comunicação à sua subsidiária Stock Spirits – da qual reclama ser o maior investidor individual da fabricante de bebidas e numa base de longo prazo – para análise na próxima assembleia-geral de accionistas, propôs a mudança de dois membros da administração. E sugere ainda a saída do actual CEO, Chris Heath.

De acordo com a Reuters e o Financial Times, um dos dois nomes sugeridos por Luís Amaral para administradores não executivos é o de Alberto da Ponte. O antigo presidente da RTP, recorde-se, voltou à Sociedade Central de Cervejas como conselheiro da administração, da qual foi CEO entre 2004 e 2012 – altura em que a empresa foi adquirida pela Scottish & Newcastle - mais tarde comprada a 100% pela Heineken. O outro nome proposto por Luís Amaral é o de Randy Pankevicz.

O que a Western Gate contesta à liderança de Chris Heath não é pouco, segundo as notícias das agências noticiosas desta terça-feira: "o desempenho financeiro é fraco, a quota de mercado foi perdida no seu mercado fundamental que é a Polónia, os salários e os custos são demasiado altos e o controlo remoto do negócio a partir de Londres, onde a companhia não tem operações geradores de receitas relevantes, não está, obviamente, a funcionar", comunicou a empresa de Luís Amaral à administração da Stock Spirits.

A resposta da Stock Spirits veio na própria terça-feira, 5 de Abril, como a Bloomberg replicou. A "Stock Spirits confirma a comunicação recebida do veículo de investimento de Luís Amaral, Western Gate, e irá responder em detalhe na devida altura".

No entanto, segundo a Bloomberg, adianta para já que "os interesses da Western Gate na gestão e na estratégia" da fabricante de bebidas "não são necessariamente os interesses de todos os accionistas maioritários". Adianta ainda que a companhia "aconselha os accionistas a não tomar nenhuma iniciativa por agora".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI