Comércio Sonae admite pagar taxa de segurança alimentar

Sonae admite pagar taxa de segurança alimentar

O maior operador de distribuição em Portugal admite pagar a taxa de segurança alimentar, mas ainda não tem tomada a decisão definitiva.
Sonae admite pagar taxa de segurança alimentar
Alexandra Machado 06 de novembro de 2013 às 20:45

A Sonae admite pagar a taxa de segurança alimentar, ainda que não tenha a decisão definitiva tomada. 

 

Ao Negócios, fonte oficial da Sonae garantiu que "tendo em conta a melhor defesa dos seus interesses e dos seus clientes, a Sonae está a ponderar o pagamento da referida taxa, mas ainda não existe decisão definitiva sobre o assunto". 

 

Ainda assim, continua a contestar a taxa de segurança alimentar, mesmo admitindo que a portaria regulamentadora registou progressos.

 

"A Portaria que clarifica a taxa de segurança alimentar, embora tenha registado um progresso na sua formulação com aplicações mais razoáveis, mantém as questões de fundo relacionadas com a inoportunidade e discriminação associadas à criação da taxa, e implica a introdução de mais custos incompreensíveis na cadeia de distribuição", disse a mesma fonte.

 

Esta quarta-feira, 6 de Novembro, foi a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, que anunciou, no Parlamento, que havia um grupo de distribuição disposto a pagar a taxa de segurança alimentar em Novembro, o que renderia cinco milhões. Até agora a taxa só foi paga por pequenos retalhistas, no montante de três milhões de euros.

 

A taxa de segurança alimentar tem sido contestada pela Aped, associação do sector, na qual a Sonae tem a presidência. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI