Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

União Europeia: acordo fiscal entre Luxemburgo e Amazon parece constituir “auxílio estatal”

Os reguladores europeus estão a investigar vários acordos fiscais entre multinacionais e países onde se instalaram. Num relatório preliminar, considera que a Amazon poderá ter tido um tratamento fiscal especial.

Bloomberg
Wilson Ledo wilsonledo@negocios.pt 16 de Janeiro de 2015 às 17:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O acordo fiscal entre a Amazon e o Luxemburgo parece constituir "auxílio estatal" à companhia. As conclusões são de um relatório preliminar dos reguladores europeus, lançado esta sexta-feira, 16 de Janeiro.

 

Deste modo, o valor pago em impostos pela Amazon durante mais de uma década terá ficado muito abaixo do permitido. Tanto a empresa como o governo luxemburguês já vieram reforçar que nunca houve qualquer tratamento ou benefícios especiais.

 

O processo está numa fase inicial, mas poderá resultar numa decisão europeia que obrigará o Luxemburgo a recuperar uma grande quantidade de impostos em atraso, explica a imprensa internacional.

 

Nesta semana, para enfatizar o seu papel como investidor na União Europeia, a Amazon anunciou a criação de seis mil postos de trabalho em 2014. A sede europeia está fixada no Luxemburgo.

 

A investigação da União Europeia estende-se ainda a outras multinacionais, como a Apple na Irlanda, a Starbucks na Holanda e ainda a Fiat no Luxemburgo. As mesmas terão estabelecido, com os respectivos países, acordos que reduzem drasticamente a sua factura fiscal, violando as regras de concorrência da União Europeia.

 

O Luxemburgo, em especial, tem sido alvo de intenso escrutínio depois do caso LuxLeaks, que revelou a fuga ao fisco de mais de 300 empresas no país.

 

Ver comentários
Saber mais Amazon Luxemburgo União Europeia Apple Irlanda Starbucks Fiat Holanda LuxLeaks economia negócios e finanças economia (geral)
Mais lidas
Outras Notícias