Comércio Vendas online não travam expansão de lojas físicas

Vendas online não travam expansão de lojas físicas

A popularidade do comércio online não vai parar os planos de aberturas de lojas físicas das principais retalhistas, de acordo com um estudo da CBRE. Portugal está na mira dos planos de expansão de 5% dos retalhistas contactados.
Vendas online não travam expansão de lojas físicas
Bruno Simão
Negócios 31 de março de 2016 às 13:23

Apesar das vendas online estarem a ganhar cada vez mais fãs, as retalhistas não vão parar os planos de expansão de lojas físicas em 2016. A conclusão é avançada por um estudo da CBRE, que contou com o contributo de mais de 150 grandes marcas presentes em vários continentes. Portugal encontra-se na lista de mercados em expansão para 5% dos retalhistas.

De acordo com a sétima edição do estudo "How Active Are Retailers Globally", divulgado esta quinta-feira, 31 de Março, 83% dos inquiridos estão confiantes que a abertura de nova slojas físicas não vai ser afectada pelo comércio electrónico, apesar de admitirem qie este cenário pode alterar-se consoante o mercado em causa.

Apenas 22% das retalhistas sediadas nas Américas, Ásia Pacifico, Europa, Médio Oriente e África confessaram estar preocupadas com o eventual impacto que a forte concorrência das vendas online poderá vir a ter no mercado este ano. Do total de inquiridos, "17% mantêm ambições de larga escala, com muitos retalhistas a estimarem a abertura de mais de 40 lojas (mais 9% que em 2015) em 2016 e a grande maioria (67%) prevê abrir até 20 lojas", de acordo com o mesmo documento.

As lojas de ruas (76%) e os centros comerciais regionais (72%) estão no topo da preferência dos inquiridos para uma estratégia de expansão. Além disso, um quinto dos inquiridos admitem expandir lojas físicas para centro de ligação por serem locais muito movimentados.

Mark Burlton, responsável da área de retalho da CBRE para a região EMEA explica que "o desafio para os retalhistas passa agora pela construção de uma oferta atractiva, que leve as pessoas a permanecerem mais tempo no espaço comercial e a gastarem mais dinheiro".

Já Carlos Récio, director de agência de comércio da CBRE, acrescenta que "apesar do contexto de incerteza económica e do aumento anual da popularidade das compras online, a presença de uma loja em locais chave mantém-se um elemento essencial para reforçar a presença e a força da marca junto do público".

Quanto aos mercados que estão na mira das retalhistas para avançar com o plano de expansão de lojas, a Europa Ocidental destaca-se, com a Alemanha a assumir-se como o local mais popular para 35% dos retalhistas, logo seguida pela França com 33% e pelo Reino Unido com 29%. 

 

A China foi destacada por 27% dos retalhistas e os EUA por um quarto dos inquiridos.

 

 

 

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI