Concorrência & Regulação Alemanha, França e Polónia insistem em novas regras para criarem “campeões mundiais”

Alemanha, França e Polónia insistem em novas regras para criarem “campeões mundiais”

Paris, Berlim e Varsóvia estão a preparar uma proposta para alterar as regras da Concorrência. O objetivo, que já tinha sido assumido no início do ano pela Alemanha e França é facilitar a criação de "campeões mundiais".
Alemanha, França e Polónia insistem em novas regras para criarem “campeões mundiais”
EPA
Sara Antunes 04 de julho de 2019 às 17:19

Alemanha, França e Polónia estão a preparar uma proposta para alterações às regras de concorrência da União Europeia. Entre outras questões, o objetivo é facilitar algumas fusões.

A "necessidade de criar novos campeões industriais europeus", capazes de "enfrentar a concorrência" mundial é a justificação para que os três países estejam a preparar uma proposta de alteração das regras de concorrência na União Europeia. 

 

"Temos de ter em consideração o crescimento da China, o crescimento de novos gigantes industriais e a necessidade de criar novos campeões industriais europeus que sejam capazes de enfrentar a concorrência", afirmou o ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire (na foto), aos jornalistas, citado pela Bloomberg.


"Um novo mundo implica novas regras", adiantou o responsável francês, na Polónia.

 

"Não estamos a sugerir abolir a nosso controlo de fusões, nada disso, estamos a modernizá-lo" depois de ver empresas fora da União Europeia a fundir-se e a ficar "ainda maiores" para se "expandirem para a Europa, a Ásia e África", salientou o ministro da Economia alemão, Peter Altmaier.

 

Com a mudança de regras, "em alguns casos, haverá autorização de fusões, noutros casos não. Continuará a ser decidido pelas autoridades em Bruxelas, mas tendo em consideração os desenvolvimentos mundiais", adiantou o responsável da Alemanha.

 

A Europa está a ficar para trás na Inteligência Artificial, na mobilidade elétrica, "por isso precisamos mesmo de uma nova rede" para que "seja possível criar campeões mundiais", afirmou a ministra para o Empreendedorismo e Tecnologia da Polónia, Jadwiga Emilewicz.

 

Não é novo que Paris e Berlim querem alterações às regras da Concorrência. A pressão dos dois países aumentou depois de, em fevereiro, a Comissão Europeia ter chumbado a fusão entre a Alstom e Siemens, uma operação que tinha como objetivo criar um concorrente à gigante chinesa da ferrovia CRRC, a maior empresa mundial do setor.

 

Desde então que as duas maiores economias europeias têm defendido alterações nas regras, defendendo, precisamente, a necessidade de haver "campeões [empresarias] na Europa com capacidade para competir ao nível global."

 

As alterações defendidas pela Alemanha e França mereceram na altura críticas da comissária Europeia, Margrethe Vestager, o rosto da Concorrência europeia.




Marketing Automation certified by E-GOI