Concorrência & Regulação Cativações asfixiam reguladores
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Cativações asfixiam reguladores

As entidades reguladoras voltaram este ano a ser confrontadas com cativações, as quais em 2017 já as tinham deixado com constrangimentos no funcionamento interno e na sua actividade.
Cativações asfixiam reguladores

Pelo menos cerca de 12 milhões de euros foram cativados em 2017 às entidades reguladoras, que este ano voltaram a ser confrontadas com o mesmo procedimento por parte do Ministério das Finanças. E há mesmo quem antecipe

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Regulação Independente, Económica e Útil Há 22 horas

-Plenamente de acordo que se garanta a independência dos Reguladores e que se procure:
-ou que neles estejam representadas todas as partes interessadas,
-ou que, não o estando, os seus membros não mantenham ligações aos interesses representados;

- De acordo que se proporcionem aos Reguladores os meios necessários ao exercício das suas funções,
não deixando de se tomar em conta preocupações de economia e os ratios verificados em outros países;

-De acordo que periodicamente os Reguladores sejam sujeitos a rigorosas inspeções e auditorias,
no sentido de comprovar que os custos da Regulação se justificam plenamente face aos benefícios ,
e que a situação que se verificava antes do 25 de Abril em Portugal,
de os organismos de Regulação fruirem de tenebrosa fama,
(até Marcelo Caetano o reconheceu !)
como justificação para “tachos” e para conceder privilégios a alguns,
é apenas e tão-só uma recordação de vícios de um Passado,
que se corrigiu e a que não se quer voltar

comentários mais recentes
Re : Marta Há 17 horas

“Tanto dinheiro” ?!

Mas a CMVM só gasta 24 milhões de € por ano, e tem de fiscalizar 22 empresas
que constituem o universo de empresas de liquidez mínima cotadas em Portugal !

Lembra-te que a tradição em Portugal é, em muitos casos, serem mais os Fiscalizadores do que os Fiscalizados!

Mas nem sequer será tanto disso que os Cidadãos se queixam.

Do que se queixam, é que por exemplo no trágico aumento de capital do BES, em 2014,
não tenha havido a coragem de dar o grito:

“O Rei vai Nu e leva-vos à ruína"

Do que se queixam é que por exemplo no prospecto de um fundo de investimento,
venha escrito o seguinte da autoria da CMVM:

“A autorização do Fundo pela CMVM baseia-se em critérios de legalidade, não envolvendo por
parte desta qualquer garantia quanto à suficiência, veracidade, objetividade ou atualidade da
informação prestada pela entidade responsável pela gestão no regulamento de gestão, nem
qualquer juízo sobre a qualidade dos valores que integram o património do Fundo”

Anónimo Há 18 horas

"We will gradually enter a time where having a lifetime employment based on tasks that are not justified will be less and less sustainable - we're actually already there." - Emmanuel Macron www.msn.com/en-gb/video/other/french-civil-servants-no-more-jobs-for-life/vi-AAeGlDD

Marta Há 19 horas

Já auditaram os reguladores? As despesas com viagens, carros, contratos, ajudas de custo, almoços, Seminários? Vamos ver primeiro onde gastam tanto dinheiro...

Anónimo Há 22 horas

Austeridade de esquerda. Emprego, remunerações e progressões garantidas, investimento público em consumíveis e equipamentos em mínimos, que matam na via pública, nos hospitais e nos centros de saúde, que desperdiçam futuros talentos nas escolas sem recursos, que põem as forças de protecção civil e de segurança sem os meios necessários para fazerem convenientemente o seu trabalho com sucesso.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub