Construção Cimpor regista perdas de 165 milhões nos primeiros nove meses

Cimpor regista perdas de 165 milhões nos primeiros nove meses

A Cimpor reportou prejuízos de 165 milhões de euros entre Janeiro e Setembro, contra um lucro de180,8 milhões de euros no período homólogo do ano passado.
Cimpor regista perdas de 165 milhões nos primeiros nove meses
Negócios 01 de dezembro de 2012 às 00:56

O volume de negócios da cimenteira ascendeu a 1.170 milhões de euros, contra 1.189 milhões um ano antes.

“Em Portugal, apesar do aceleramento da atividade de exportação - visando contrabalançar a pronunciada retração económica local – não foi possível travar a tendência de queda dos volumes de vendas. Por seu turno a desaceleração das vendas a que se vem assistindo na África do Sul e na Tunísia, justificam-se no primeiro caso pelo aumento de concorrência por via de importação, e no segundo pela actividade da Cimpor em 2011 ter beneficiado de algumas dificuldades de abastecimento do mercado por parte da concorrência”, sublinha a empresa em comunicado à CMVM.

Os destaques positivos destes 9 meses continuaram a ser as vendas no Brasil, em Moçambique e mais recentemente na Índia, onde, apesar do abrandamento imposto pela monção neste último trimestre, o contexto de mercado ao longo de 2012 tem permitido o desenvolvimento favorável da atividade, refere o documento.

Relativamente ao terceiro trimestre, a empresa teve lucros de 39,9 milhões de euros, uma queda de 17,9% face aos 48,6 milhões registados entre Julho e Setembro de 2011.

"Embora nos primeiros nove meses de 2012, e em especial no terceiro trimestre, se tenha assistido a um abrandamento da atividade do grupo por força do contexto económico na Península Ibérica e de mercado na China, o peso sustentado da actividade no Brasil, a tendência favorável dos preços, o esforço de promoção das exportações de Portugal e o recurso ao aumento de vendas de CO2 permitiram atenuar parcialmente o reflexo deste abrandamento no EBITDA, que apesar de descer 12% até Setembro, em termos trimestrais conteve a sua descida face ao que se havia registado no ano passado (-5,8%)”, salienta o comunicado.

Paralelamente, na sequência da tomada de controlo da Cimpor pelos acionistas Camargo Corrêa / InterCement, e mediante as Cláusulas de Mudança de Controlo subjacentes à dívida existente, procedeu-se à reestruturação do passivo financeiro simultaneamente aumentando a sua maturidade e diminuindo o seu custo médio, diz ainda a empresa.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI