Construção Palacete no Porto transformado em hotel de luxo com investimento de quase 3 milhões

Palacete no Porto transformado em hotel de luxo com investimento de quase 3 milhões

A Invenio Engenharia vai reabilitar um palacete abandonado na zona histórica do Porto e transformá-lo num hotel de luxo.
Palacete no Porto transformado em hotel de luxo com investimento de quase 3 milhões
Raquel Murgeira 12 de junho de 2018 às 12:15

A Invenio Engenharia, empresa de construção sediada no Porto, vai reabilitar um antigo palacete na zona histórica da Invicta, mais propriamente na Rua de São João, para transformá-lo num hotel de luxo. Uma intervenção que atinge os 2,7 milhões de euros, segundo avançou a empresa ao Negócios.

A firma de construção já iniciou as obras que têm um prazo de execução de 15 meses. A Invenio estima que o palacete fique totalmente concluído no segundo semestre de 2019, o que reforça "a oferta hoteleira naquela zona da cidade", de acordo com o comunicado.

O edifício do século XVIII estava ao abandono há mais de dez anos e com sinais de degradação tanto no interior como no exterior. O projecto é do arquitecto João Figueiroa e pretende "evocar o Porto burguês do século XVIII".

A empresa de construção pretende realizar a obra "com o mínimo de impacto", de forma a devolver "a beleza original ao edifício, adaptando-o a uma nova função".

"O objectivo é que este projecto respeite o património e valorize a identidade original", sublinha Francisco Paiva Ribeiro, administrador da Invenio Engenharia, citado no comunicado. A empresa de construção quer reaproveitar várias características únicas do palacete, como por exemplo azulejos e tectos.

O edifício começou por ser a habitação de uma família burguesa, tendo sido depois usado como armazém de mercearias.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

1 - Qual o valor adjudicado pelos fundos comunitários para esta obra?

pub