Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mota-Engil vence nova concessão rodoviária na Colômbia

O investimento vai alcançar os 430 milhões de euros e terá uma duração de 30 anos. O período de construção da concessão terá uma duração prevista de quatro anos e deverá gerar mais de 1.700 postos de trabalho directos.

Reuters
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

A Mota-Engil voltou a vencer uma concessão rodoviária na Colômbia. A concessão Vial Cambao-Manizales compreende o financiamento, construção, reabilitação, melhoramento, operação e manutenção de cinco troços de estradas com portagens num total de 256 quilómetros, anunciou a empresa esta sexta-feira, 22 de Maio.

 

O projecto foi vencido pelo consórcio Alternativas Viales, detido em 25% pela Mota-Engil Engenharia e Construção, e integrado também por vários parceiros colombianos: Icein, Gaico, Fortress e Alca.

 

O investimento vai alcançar os 430 milhões de euros e terá uma duração de 30 anos, incluindo os trabalhos de construção e manutenção. O período de construção terá uma duração prevista de quatro anos e deverá gerar mais de 1700 postos de trabalho directos por cada ano de construção, segundo dados do governo colombiano.

 

Esta concessão é uma parceria público-privada (PPP), e está em linha com a estratégia do grupo Mota-Engil para a Colômbia, "a qual assenta na aposta em projectos" neste regime, diz a companhia no comunicado.

 

A Mota-Engil venceu a primeira PPP rodoviária na Colômbia em Maio de 2014, a concessão "Conexión Pacífico 2", com um investimento estimado na ordem dos 350 milhões de euros. 

 

A Colômbia tem em curso o maior programa de infra-estruturas da sua história. Os investimentos rodoviários alcançam um total de 47,2 mil milhões de dólares (42,5 mil milhões de euros) com a intervenção em 9.000 quilómetros de estradas, tanto construção como reabilitação.

 

A Mota-Engil está a perder 1,17% para 2,776 euros na bolsa de Lisboa na sessão desta sexta-feira.

Ver comentários
Saber mais Mota-Engil Mota-Engil Engenharia e Construção grupo Mota-Engil Colômbia economia negócios e finanças construção e obras públicas consórcio Alternativas Viales
Outras Notícias