Construção Presidente da Soares da Costa diz que sobrevivência da construtora “estava em causa”

Presidente da Soares da Costa diz que sobrevivência da construtora “estava em causa”

Sem a injecção de capital de 70 milhões de euros que o empresário António Mosquito efectuou, a “sobrevivência da empresa estava em causa”, diz o presidente da Soares da Costa.
Presidente da Soares da Costa diz que sobrevivência da construtora “estava em causa”
Paulo Duarte/Negócios
Negócios 15 de fevereiro de 2014 às 12:42

António Castro Henriques, presidente do grupo Grupo Soares da Costa, diz em entrevista à TSF e ao Dinheiro Vivo que a entrada do empresário António Mosquito no capital da construtora foi fundamental para a sobrevivência da companhia.

 

“Se este accionista não tivesse entrado e outro não houvesse para realizar este investimento, a sobrevivência da empresa estava em causa”, afirmou Castro Henriques, recusando contudo que António Mosquito tenha salvado a Soares da Costa: “Não colocaria as coisas assim. António Mosquito investe na Soares da Costa. Investe, toma o risco com as melhores expectativas”.

 

Com uma dívida líquida acima de 2 mil milhões de euros, a Soares da Costa recebeu esta semana uma injecção de capital do empresário angolano António Mosquito.

 

A entrada do dinheiro que tem “particular relevo” porque “permite mitigar os constrangimentos financeiros a que se encontra exposta a área de negócio da construção”, de acordo com o comunicado emitido pela Soares da Costa depois da Assembleia Geral da semana passada.

 

Quanto aos sinais de recuperação da economia portuguesa, Castro Henriques diz que estes ainda não são sólidos, pelo que 2014 ainda não será um ano de viragem, porque “a retoma do investimento ainda não sucedeu”. Só depois virá a remota no sector da construção, o que espera que venha a acontecer em 2015.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI