Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

AC Milan, Lazio e Nápoles na mira das autoridades por suspeita de evasão fiscal

A operação "Fuorigioco" (fora-de- jogo) conduzida pela Procuradoria de Nápoles envolve 35 clubes italianos da Série A e B. Já foram realizadas buscas no complexo desportivo do Milan e apreendidos bens de valor superior a 12 milhões de euros.

37 AC Milan / Valor: 945 milhões de dólares
Rita Faria afaria@negocios.pt 26 de Janeiro de 2016 às 12:12
  • Partilhar artigo
  • ...

As autoridades italianas realizaram uma série de apreensões de bens no âmbito de uma investigação por suspeitas de evasão fiscal que envolve 35 clubes de futebol da Série A e B, as duas principais divisões do país.  

 

Segundo a Reuters, que cita o comunicado da Procuradoria de Nápoles, a polícia apreendeu bens de valor superior a 12 milhões de euros, de cerca de seis dezenas de pessoas envolvidas no futebol profissional. De acordo com fontes da agência noticiosa, entre os clubes investigados contam-se o AC Milan, a Lazio e o Nápoles.  

 

O canal noticioso ESPN avança que a Guardia di Finanza realizou buscas no Milanello, o complexo desportivo do Milan, esta terça-feira de manhã, e que as suspeitas de actividade fraudulenta envolvem 64 pessoas, incluindo altos directores.

 

Segundo os jornais Gazzetta dello Sport e Corriere dello Sport, na lista de suspeitos surgem os nomes de Adriano Galliani, antigo vice-presidente e actual administrador para o futebol do AC Milan, Aurelio De Laurentiis, presidente do Nápoles, Claudio Lotito, presidente da Lazio, Jean Claude Blanc, ex-dirigente da Juventus, o antigo jogador Hernan Crespo, e Ezequiel Lavezzi, actual jogador do PSG que fez parte da formação do Nápoles.

 

A operação "Fuorigioco" (fora-de- jogo) está a ser conduzida pela Procuradoria de Nápoles, e as buscas realizadas ao complexo do Milan constituirão apenas a primeira parte do processo.

 

"Os agentes futebolísticos facturariam valores fictícios apenas para os clubes de futebol pelos serviços prestados, fingindo que a sua actividade como intermediários era para o interesse exclusivo do clube, quando na verdade eram os interesses dos jogadores que representavam que estavam a ser protegidos", explicou à agência ANSA Vincenzo Piscitelli, assistente na investigação.

 

"Este foi um dos mecanismos fraudulentos que levou às buscas e apreensão de bens de clubes da série A e B. Além disso, os clubes, por sua parte, beneficiam da vantagem inegável de serem capazes de deduzir inteiramente estas taxas do rendimento tributável", acrescentou.

 

Piscitelli explicou também que alguns agentes argentinos criaram falsas empresas em paraísos fiscais para evitar pagar os impostos devidos no país onde o rendimento foi produzido (Itália) e no seu país de residência para efeitos fiscais (Argentina).

 

Ver comentários
Saber mais Procuradoria de Nápoles Milan Lazio Adriano Galliani Aurelio De Laurentiis presidente do Nápoles Claudio Lotito Jean Claude Blanc Juventus Ezequiel Lavezzi
Outras Notícias